Conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

Ouça a melhor programação todos os dias. Sintonize 99,1 Sorriso FM - Do jeito que você gosta!

Agronegócio

​Produtores de algodão enfrentam cenário desafiador com preços baixos e custo de produção elevado

Os agricultores que plantam algodão estão com a margem apertadíssima entre o custo de produção e o preço da pluma. A alta do dólar, o alto preço dos defensivos agrícolas, das sementes e dos fertilizantes, o preço baixo, as reduzidas comercializações do produto, podem puxar uma queda da área de plantação em Mato Grosso. A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China pode ser a luz no fim do túnel. Enquanto isso não é definido, cabe ao cotonicultor retomar as estratégias da atividade agrícola e fazer com excelência o trabalho de casa.

“Esse é mais um momento de desafios para toda a cadeia produtiva do algodão. É um cenário em que especialmente o produtor terá de mostrar conhecimento, ser eficaz nas boas práticas agrícolas e usar a tecnologia. A agronomia permite tomadas de decisões e tecnologia não significa mais consumo, e sim informação, a junção do conhecimento científico aplicada à uma atividade”, afirma Leandro Zancanaro, diretor técnico da Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT.

A seleção das melhores áreas com alto potencial produtivo, o uso da poupança do solo, o plantio de variedades mais precoces, o manejo cultural são algumas das alternativas apontadas por Zancanaro para o cotonicultor conseguir reduzir os custos de produção e aumentar a produtividade. “Tudo isso é muito possível. É um grande desafio para a classe produtora enfrentar esse cenário não muito favorável, mas precisamos olhar para as opções”, destacou o diretor técnico durante o XI Encontro Técnico de Algodão que acontece em Cuiabá.

Para Daniel Latorraca, superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), mudanças, mesmo que pequenas, podem ocorrer se houver reação do mercado consumidor, como por exemplo do mercado asiático. “Se a guerra entre Estado Unidos e a China prolongar talvez possamos fazer frente ao mercado. Mas isso vai depender da área que os cotonicultores irão plantar.”

Segundo Latorraca, a preocupação maior é com os produtores que não comercializaram seu produto. Na safra anterior cerca de 60% da produção já estava comercializada com bons preços nessa época do ano. Da safra atual, apenas 44% foram até agora negociada. “Quem não vendeu seu algodão está numa situação complicadíssima. Não há previsão de melhorias dos preços e o custo de produção manteve em patamar elevado. É momento do produtor realmente lançar mão de todo conhecimento que ele tem sobre plantar e colher bem.”

O produtor Sergio De Marco e ex-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) também concorda que o cenário da safra 19/20 vai exigir muito de toda classe produtora. “Teremos de tirar alternativas da cartola, e elas existem. É mais uma oportunidade de criarmos soluções em meio da crise e tomar decisões mais assertivas.”

Propaganda. Role para continuar lendo.
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Destaque

A Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento de Sorriso confirma hoje (01), a 13ª morte por Covid-19. O paciente, 46 anos de idade, estava...

Destaque

Duas apostas feitas em Mato Grosso foram contempladas no concurso da Quina, modalidade de loteria da Caixa Econômica Federal, realizado esta noite. Um apostador...

Destaque

No início da tarde desta terça-feira (30-06) bandidos supostamente armados assaltaram um estabelecimento comercial (minimercado) localizado no bairro Topázio em Sorriso e levaram certa...

Destaque

Os vereadores Damiani na TV – PSDB, Toco Baggio – PSDB, Acacio Ambrosini – PATRIOTA, Dirceu Zanatta – MDB e Marlon Zanella – MDB,...

A Voz do Povo

Os vereadores Damiani na TV – PSDB, Toco Baggio – PSDB, Acacio Ambrosini – PATRIOTA, Dirceu Zanatta – MDB e Marlon Zanella – MDB,...

A Voz do Povo

O comércio foi o setor que liderou a extinção de vagas no trimestre encerrado em maio, com 1.983 milhão de demissões em relação ao...

Propaganda

Curta a nossa página

+ Mais notícias

A Voz do Povo

Atendendo recomendação do Ministério Público, feita em reunião virtual na última quinta-feira (25.06), prefeitos do Consórcio de Saúde Vale do Teles Pires devem assinar...

Sticky Post

Gleidson Alves de Amaral, dono da Drogaria Amaral, idade não confirmada, acaba de falecer no Hospital 13 de Maio em Sorriso. A informação foi...

Destaque

Na manhã deste domingo (28-06) foi realizada uma operação no rio Teles Pires e Salto Magessi em Sorriso. Objetivo foi coibir aglomerações de pessoas...

Destaque

Emerson dos Santos Madeira de 24 anos de apelido “Lambe-sal” é a vítima de um homicídio registrado na noite desta segunda-feira (29-06) na Rua...

Destaque

O ciclista identificado como Patrick Soares de 17 anos que foi colidido por uma carreta na Br 163 em Sorriso na manhã deste sábado...

Destaque

Na manhã desta segunda-feira (29-06) um homem foi encontrado morto dentro de uma farmácia localizada na Rua São Francisco de Assis em Sorriso. Segundo...

A Voz do Povo

O médico Hector Aurélio Davilla, 68 anos, especialista em cirurgia de tórax do Hospital Regional de Sorriso, segue internado na unidade hospitalar. Ele está...

Sticky Post

O prefeito de Sorriso acaba de assinar o decreto 304/2020 com nova medidas para contenção da contaminação da Covid-19. Conforme a Sorriso FM já...

Propaganda