Alunos de escolas estaduais passam em Medicina e outros cursos da UFMT

Por: Assessoria

Alunos da Rede Estadual de Ensino conquistaram vagas no curso de Medicina, o mais concorrido da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), cuja maior parte dos alunos vem de outros Estados. Entre os felizardos está o estudante Jaime de Souza Lima Júnior, que concluiu todo o ensino médio na Escola Estadual Plena Bertoldo Freire, em São José dos Quarto Marcos (a 315 quilômetros a oeste da Capital).

O jovem conquistou o 1º lugar entre alunos das escolas públicas. Jaime concluiu o 3º ano em 2018 e, no ano passado, reforçou os estudos, conseguindo notas suficientes para conquistar uma vaga em Medicina.

“A Escola Bertoldo Freire foi importante nessa caminhada vitoriosa, pois descobri a minha vocação, o que queria fazer de curso superior. Tudo isso, graças à disciplina Projeto de Vida, da escola plena. Com isso, reforçamos o estudo extracurricular conforme nossa escolha”, assinala.

A partir daí, fez seu projeto, focando no 2º ano, o estudo nas disciplinas básicas – como língua portuguesa e matemática. No 3º ano, focou nas disciplinas da ciência da natureza.

“O ensino da escola pública é bom, pois nesses três anos, consegui uma boa base. Por isso, precisei só um reforço no ano seguinte”, frisa.

Jaime explica que, desde o segundo ano, começou a estudar focado no Enem. Ao terminar o 3º ano, em 2018, conseguiu nota geral de 705 pontos, o que foi insuficiente para medicina.

“Quando estava no 2º ano, tirei 676 pontos e no 3º ano, 705. Uma pontuação boa, suficiente para ingressar em vários cursos, mas meu objetivo era medicina e, um ano depois, consegui, pois conquistei 750 pontos”, comemora.

Aos estudantes que têm o mesmo objetivo de cursar Medicina na UFMT, Jaime manda um recado. “Não tem segredo. Você tem que estudar muito, se esforçar muito. Assim, você consegue o seu objetivo”, assegura.

Além de Jaime, o estudante João Victor Barbosa Quidá da Silva da Escola Militar Tiradentes foi aprovado no curso de medicina da UMFT. A colega dele, Heloise de Sousa (18), passou para Engenharia da Computação.

Escola decisiva

As vagas conquistadas não foram somente em Medicina. Alunos da rede estadual conseguiram vagas de outros cursos em instituições públicas.

A aluna Natali vai cursar letras na UFMT
Créditos: Divulgação

Na Escola Plena Antônio Epaminondas, de Cuiabá, as Yasmin Stefany Machado e Silva e Natali Fernandes Tosta, foram aprovadas para Engenharia Química e Letras da UFMT, respectivamente. As alunas ressaltaram a importância da escola para obter notas para o curso superior.

Para Yasmin, existem várias barreiras para se chegar ao ensino superior. Uma delas é o fato de um aluno de escola pública entrar em uma instituição federal, pois passa a impressão que essas escolas não têm ensino de qualidade.

“Só que minha escola não é assim. O tempo todo, os professores auxiliam os alunos, encorajando-os a fazer curso superior. Dizem, você consegue sim. É muito legal porque os professores não deixam seu sonho morrer”, diz.

Yasmin acredita que a aprovação dela está ligada ao esforço de toda a escola. “Devo à Escola Antônio Epaminondas a minha aprovação”, garante.

A colega dela, Natali, também reforça o entendimento de que a escola a ajudou, e muito, a conseguir notas para fazer um curso superior na UFMT.

“A escola foi muito importante nessa etapa da minha vida porque os professores são extremamente qualificados. O protagonismo da escola integral foi muito forte na minha vida. As decisões que tive que tomar, chegar onde cheguei, e saber que tenho capacidade para continuar, devo tudo à escola”, comemora.

Ótimos resultados

Em levantamento preliminar, a Coordenadoria de Ensino Médio da Seduc recebeu uma lista com mais de 30 alunos de diversas escolas que tiveram seus alunos aprovados em curso superior de instituições públicas como a UFMT, na Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) e no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT). Como se trata de um número preliminar, a expectativa é de que mais de 100 alunos iniciem o ano matriculados numa instituição pública.

Em Várzea Grande, a EE Fernando Leite de Campos teve sete alunos aprovados em instituição pública, sendo cinco para licenciatura e dois para bacharelado.

Na EE Pedro Gardés, os professores comemoram as seis vagas conquistas na UFMT por seus alunos. Na EE Plena Honório Rodrigues Amorim, foram 4 aprovados, incluindo Ana Maria, primeiro lugar para engenharia de alimentos da UFMT.

A estudante Ana Maria conquistou o 1o lugar no curso
Créditos: Divulgação

Na EE Rafael de Siqueira, em Chapada dos Guimarães (a 65 quilômetros de Cuiabá), foram oito aprovados, todos para cursos de bacharelados. Em Sorriso, cinco alunos já se matricularam em cursos da UFMT e Unemat, câmpus de Sinop.

Na EE Ciro Siqueira Gonçalves, de Barão de Melgaço (a 113 quilômetros da Capital), a aluna Regiane Ajona Correa, é uma das aprovadas no curso de bacharelado de Química.

Rejane é a mais nova aluna do curso de química (bacharelado)
Créditos: Divulgação

“Temos uma grande quantidade de alunos aprovados no Enem e que já matricularam, mas as escolas ainda não receberam a informações dos próprios alunos. Por isso, vamos ter um número bem maior do que estamos divulgando agora”, ressalta o coordenador de Ensino Médio, Isaltino Alves Barbosa.  

Próximo

Alunos de escolas estaduais passam em Medicina e outros cursos da UFMT