BR-163/MT: mais de 50% dos acidentes com vítimas têm envolvimento de motocicletas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Mais da metade dos acidentes com vítimas atendidos pela Concessionária Rota do Oeste em 2021 tem o envolvimento de motocicletas que percorrem a BR-163/364 e rodovia dos Imigrantes (BR-070). Em média, são registradas duas ocorrências por dia. Apesar da alta incidência, o tráfego de motocicletas ao longo do trecho sob concessão representa menos de 2% do fluxo total. Os pontos com maior número de casos são as travessias urbanas, principalmente as Rondonópolis, Várzea Grande e Sinop.

Levantamento do setor operacional da Rota do Oeste demonstra que de 1º de janeiro a 31 de outubro de 2021, as motocicletas estiveram presentes em aproximadamente 53% das ocorrências com feridos e em 36% dos atendimentos com mortes. O estudo aponta ainda que 82% dos registros com este tipo de veículo deixaram vítimas.

A região de Sinop concentra 42% das ocorrências com vítimas e 23% dos registros com óbitos, ocupando o primeiro lugar no ranking. Na sequência está Várzea Grande contabilizando 13% dos feridos e 15% dos mortos e Rondonópolis somando 12% dos feridos e 17% das mortes.

O descumprimento à legislação de trânsito, o desrespeito à sinalização, a ausência de habilidade na condução das motocicletas e a exposição física proporcionada por esse tipo de veículo são fatores que levam a este cenário, avalia o gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, e o chefe da 6ª Delegacia da PRF de Sorriso, Leonardo Ramos.

“A motocicleta é um tipo de veículo que não oferece qualquer proteção e essa característica aumenta a chance dos ocupantes se ferirem em um acidente por mais banal que ele possa aparentar. Justamente por isso é tão importante que os condutores sigam as leis de trânsito”, esclarece Ferreira.

O inspetor Ramos lembra ainda que soma aos fatores citados acima o alto número de condutores que não possuem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e, consequentemente, não foram treinados para a condução e apresentam desconhecimento das leis de trânsito. “Isso resulta em inúmeras imprudências que diariamente geram acidentes graves e vítimas, algumas das quais pagam com o preço mais alto: a vida”, cita o PRF.

Entre as ocorrências mais frequentes envolvendo motocicletas estão as quedas, colisões transversais, traseiras e laterais. Os dados demonstram que muitos acidentes poderiam ser evitados com a prática de direção defensiva.

“A queda é um típico acidente de falta de habilidade ou mesmo a tentativa de executar manobras irregulares, como pular canteiros, meio fios, entre outros obstáculos, assim como as colisões transversais e laterais. O que observamos é que a maioria dessas ocorrências são por inobservância do risco e o excesso de confiança”, comenta o gerente de Operações.

Outro ponto relevante é o fato de os condutores desconsiderarem os riscos oferecidos pela BR-163, que tem intenso fluxo de veículos de carga. É comum os motociclistas entenderem a rodovia como uma avenida da cidade e não adotarem as devidas precauções que a tráfego da BR-163 e a rodovia dos Imigrantes exigem. São vias que passam por dentro de cidades movimentadas, onde o tráfego acaba sendo intenso e com mistura de tipos de veículos.

“Essa dinâmica faz com que o trânsito rodoviário compartilhe o mesmo espaço que o trânsito local, gerando por muitas vezes conflitos e, especialmente, acidentes. Nesse cenário, os motociclistas quase sempre levam a pior, pois são os condutores mais expostos aos riscos do trânsito e as motocicletas os veículos que menos gozam de segurança no trânsito”, complementa o inspetor da PRF.

Para diminuir o número de acidentes, a PRF atua na fiscalização e no controle do trânsito sob a sua responsabilidade. Subsidiariamente, a Polícia trabalha também como indutora de políticas de segurança viária. “Um exemplo claro da participação da PRF na indução de políticas de segurança foi a indicação para implantação de defensas metálicas nos três principais entroncamentos do tráfego de Sinop com a BR-163, pontos específicos onde reinavam a imprudência e a irresponsabilidade para com a vida e a saúde.”, cita Ramos.

Acolhendo a recomendação da PRF, a Rota do Oeste implantou as barreiras metálicas nos cruzamentos da rodovia com as avenidas das Palmeiras (km 836+340), dos Jequitibás (km 837) e dos Pinheiros (km 838+150), impedindo travessias irregulares de veículos.

Aos motoristas de veículos pequenos e pesados, a recomendação é sempre respeitar as motocicletas, entendendo que os condutores estão desprotegidos. Ao trafegar em travessias urbanas, é importante reduzir a velocidade, respeitar a sinalização e ficar atento ao tráfego local, que é mais intenso que nos trechos rurais.

Maninho Veículos
LCI Telecom
Programa Estação Sicredi

Veja também

IMG-20220515-WA0055

Sorriso: motociclista morre ao colidir de frente com caminhão baú na BR 163

Diego-Alves-dos-Santos-falecido-Sinop-maio-2022-arquivo-pessoal

Morre fiscal que sofreu acidente de moto em Sinop e estava hospitalizado

Caminhão-carregado-soja-tomba-rodovia-BR-163-Sinop-maio-2022-assessoria-990x556

Carreta carregada com arroz tomba na BR-163 em Sinop

13053717_1

Motociclista perde o controle, acaba atropelado por ônibus e morre

3b2d7292fbc49f9623d4b582fe34ae47

Engavetamento entre sete veículos deixa uma pessoa ferida na BR-163 em Nova Mutum/MT

thumb__600_0_0_0_auto (16)

Exporriso 2022: trânsito terá vias bloqueadas e pontos de embarque e desembarque