Jurídico

Câmara de Vereadores de MT abre CPI para investigar vereador preso indiciado por tráfico de drogas

Por: G1 MT Publicado em 27/02/2020

A Câmara de Vereadores de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o vereador Jânio Calistro (PSD). O processo vai apurar a quebra do decoro do parlamentar preso suspeito de associação ao tráfico de drogas.

O vereador está preso há mais de dois meses e é suspeito de participação de grupo criminoso que atuava no município. A portaria que determina a abertura da CPI foi publicada nesta quarta-feira (26).

A defesa do vereador informou que só vai se manifestar no ato do processo. O vereador foi preso na operação ‘Cleanup’, em 19 de novembro do ano passado, deflagrada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

Os membros da CPI vão ouvir o delegado que investigou o caso e analisar os elementos levantados no inquérito. Depois, o vereador tem 10 dias para apresentar a defesa e convocar testemunhas.

Dois pedidos de afastamento contra o vereador foram protocolados por uma ONG, que pediu o afastamento do parlamentar.

Arma de uso restrito estava com vereador de Várzea Grande — Foto: PM/Divulgação
Arma de uso restrito estava com vereador de Várzea Grande — Foto: PM/Divulgação

Arma de uso restrito estava com vereador de Várzea Grande — Foto: PM/Divulgação

O vereador foi indiciado pela Polícia Civil por tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. No inquérito, outras 32 pessoas também foram indiciadas. Calistro é policial civil aposentado e já foi detido em 2018 por estar armado em um bar.

De acordo com a DRE, a operação, além da prisão do vereador, também cumpriu um mandado de busca e apreensão contra ele.

Com a conclusão das investigações e indiciamento dos investigados, o inquérito policial foi encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) para providências cabíveis e início do processo criminal perante à Justiça.

Operação Cleanup

Cinquenta e seis ordens judiciais, entre mandados de prisões e de buscas e apreensões domiciliares foram cumpridos no dia 19 de dezembro pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

As ordens judiciais, sendo 23 mandados de prisão e 33 de busca e apreensão, foram expedidas pela 3ª Vara Criminal de Várzea Grande, com objetivo de combater a ação de traficantes que atuavam, principalmente, no município.

Conforme o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato, foram aproximadamente cinco meses de investigações, com a coleta de elementos robustos da participação de todos os indiciados nos crimes.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, o município de Sorriso deveria montar leitos de UTI?