Conta de energia em MT é uma das mais altas do país

Mato Grosso ocupa a 11ª posição no ranking de tarifas praticadas por 102 distribuidoras de energia elétrica no país. Com valor médio de R$ 0,88 por quilowatts-hora (kWh), a tarifa convencional vigente no estado desde 08 de abril de 2023 será revisada novamente no próximo dia 8 de abril, informa a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Atualmente, o valor médio tarifário da energia em Mato Grosso só fica abaixo dos valores mantidos por distribuidoras nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe, Rio Grande do Sul e Pará, conforme dados disponíveis para consulta pública no site da agência reguladora.

Em 2024 a conta de luz dos brasileiros deve subir aproximadamente 5,6%, segundo projeção do diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa. Na semana passada, o diretor-geral da Aneel se reuniu com o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (União) no intuito de buscar alternativas para reduzir o custo tarifário da energia para os consumidores mato-grossenses.

“Conversamos com a Aneel porque o modelo tarifário brasileiro hoje está penalizando sobremaneira o estado. A tarifa de Mato Grosso está entre as 3 mais caras do Brasil, porque somos um estado muito grande, com poucos consumidores e que demanda grandes investimentos em infraestrutura. Todo investimento é pago pelos consumidores, pela tarifa, por isso ela (distribuidora) vai dosando esse investimento. Estamos dialogando com a agência, vamos trabalhar na direção de alteração do modelo tarifário brasileiro”, disse Mendes, durante entrevista coletiva de imprensa na última semana.

De acordo com o diretor-geral da Aneel, o órgão regulador está buscando integração com os governos federal, estaduais e municipais para enfrentar as adversidades climáticas. A mobilização é buscada após registros de eventos climáticos que afetaram o fornecimento de energia elétrica em diversos estados brasileiros.

Na abertura da 1ª reunião da diretoria colegiada de 2024, nesta terça-feira, 23, Sandoval citou os leilões de transmissão realizados em 2023, a expansão de 10,3 gigawatts (GW) na geração energética puxada por 80% da matriz elétrica brasileira e a realização de leilões de transmissão nos próximos meses, bem como a publicação de agenda regulatória para o período de 2024-2025. (Com informações da Agência Estado).

Veja também

Policial Rodoviário Federal morre vítima de infarto enquanto trabalhava

Dois homens são presos após atropelar, esfaquear e agredir pelo menos quatro pessoas

Sorriso: sábado (24) é dia de feirinha de adoção na Praça das Fontes

Governador destaca competência dos novos desembargadores e acredita que prestação de serviços na Justiça será ampliada

Caixa lança edital de concurso com 3,2 mil vagas para técnicos

Inmet alerta para risco de chuvas intensas em Mato Grosso nesta quinta-feira (22)