Política

Cumprimento da Lei Estadual que proíbe de qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas é cobrada por parlamentar.

Por: Assessoria Câmara Publicado em 28/07/2020

O vereador Mauricio Gomes – PSB pede através do requerimento n° 166/2020 que a município cumpra a Lei Estadual nº 8.845, de 26 de março de 2008, que proíbe a utilização de cerol ou qualquer outro tipo de material cortante nas linhas de pipas ou similares, realizando a fiscalização sobre os infratores. Segundo a Lei Estadual, aquele que soltar pipa utilizando cerol ou qualquer outro tipo de material cortante deve ser penalizado em 10 UPFs. No caso, se o infrator tiver idade inferior a 18 anos, o responsável legal do menor deverá responder pela ação.

Segundo o vereador nesta época do ano, quando ventos estão mais fortes favorecendo a prática da diversão comum entre as crianças e adolescentes, mas, intencional ou não, a lei busca a prevenção antes que um mal maior aconteça e os acidentes de todos os anos se repitam com motociclistas ou ciclistas. “ A prática de colocar cerol, que é uma mistura geralmente de cola com vidro em pó ou finos metais na linha, para que ela fique cortante e, com isso possa derrubar as demais pipas torna a brincadeira muito perigosa. O costume de aplicar cerol à linha pode transformá-la em uma arma mortal”, pontuou

Os perigos do uso do cerol vão mais além, o vidro também é um condutor de energia e se o fio com cerol pegar na rede elétrica, a pessoa que está empinando a pipa pode morrer eletrocutada. Para brincar tranquilo, sem o perigo de ferir alguém, só com barbante de algodão. Nem os fios de nylon (de pesca) são indicados, pois cortam tanto ou mais que a linha que contém o cerol.

Gomes explicou que não é contra a diversão de empinar pipa, desde que se pratique em local aberto sem transito de veículo e pessoas e não utilize material cortante.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, o município de Sorriso deveria montar leitos de UTI?