Em Cuiabá, Bolsonaro diz que gás e gasolina estão baratos e confirma manifestação em 7 de setembro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participa, na manhã desta quinta-feira (19), do encerramento do Seminário Regional Política de Etnodesenvolvimento e Sustentabilidade, no Hotel Fazenda Mato Grosso. Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que o gás de cozinha e a gasolina estão ‘baratos’ e confirmou que estará em manifestação no próximo dia 7 de setembro na Avenida Paulista. Ele ainda afirmou que o Brasil, depois dos países que produzem vacinas, é o que mais aplica doses contra a Covid-19.

“Gás de cozinha, está caro ou está barato? R$ 130 o bujão, né? Mentira, está R$ 45. O Governo Federal zerou o imposto do gás de cozinha. A gasolina está cara ou barata? Está barato, está R$ 1,95. O imposto federal de R$ 0,74. O restante é ICMS, é frete e é margem de lucro. O que nós brigamos no parlamento? Para regulamentar uma emenda constitucional de 2001, onde o ICMS tem que ser um valor nominal, e cada estado fixa seu ICMS. O Governo Federal não reajustou PIS/COFINS desde janeiro de 2019”, afirmou Bolsonaro.
“Eu não estou culpando governador ou querendo atacar governador, estou falando o que nós fazemos. Nós temos transparência, nós buscamos previsibilidade. Se não fosse aquele programa voltado para abertura de negócios, chamado MP da liberdade econômica, depois passou a ser uma lei, como é que os mais humildes iam conseguir emprego?”, completou.Bolsonaro ainda afirmou que até o final de 2021 deve estar disponível a ‘vacina brasileira’, que pode ser mudada de acordo com cada cepa, e afirmou que é contra a vacinação obrigatória, mas não contra a vacina em si. O presidente ainda afirmou que este governo está há dois anos e meio sem corrupção.

“Todas as mais de 200 milhões de doses de vacinas foram compradas pelo Governo Federal. Atendemos prefeitos e governadores alongando dívidas, expectativa de receita. Qual estado e município não pagou 13º ano passado apesar da pandemia? Pelo Governo Federal que trabalha, que tem uma visão estratégica e também voltada para os mais pobres”, argumentou.

galeria de imagens