Escolas estaduais têm até sexta-feira (8) para se inscrever no projeto Hortas Escolares

As escolas da rede estadual de ensino têm até sexta-feira (08.12) para se inscrever no projeto Hortas Escolares, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf-MT).

O projeto deverá ser enviado por e-mail, exclusivamente em formato PDF, com o nome da escola.

Todas as informações estão descritas no edital disponível AQUI, que dispõe sobre a seleção de projetos de implantação e manutenção de hortas escolares nas unidades estaduais de ensino para o ano letivo de 2024.

A Superintendência de Diversidades e a Coordenadoria de Educação do Campo e Quilombola irão contemplar 300 unidades escolares selecionadas com R$ 10 mil cada uma, totalizando um investimento de R$ 3 milhões.

Na descrição dos recursos, a escola deve deixar claro todo e qualquer material necessário para a execução do projeto, incluindo área total da horta e quantidade dos materiais necessários. Neste item deve constar o valor total do orçamento, considerando que este será de, no máximo, R$ 10 mil para cada escola.

Os projetos submetidos também devem contemplar ao menos uma das quatro modalidades descritas no edital: Horta Medicinal, Horta Automatizada, Horta Agroecológica e Horta Inovadora.

Os objetivos da proposta são valorizar a agricultura familiar, o empreendedorismo, a vivência e o contato com os recursos naturais, a postura responsável diante do meio ambiente, os conhecimentos técnicos sobre instalação e manejo da horta, a qualidade nutricional dos estudantes e o cooperativismo.

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou que a horta escolar é uma ferramenta pedagógica importante para consolidar e aprofundar a formação integral dos estudantes, ampliando habilidades e competências que favorecem a autonomia para exercerem a cidadania, a construção do projeto de vida e a qualificação para o mercado de trabalho.

A estratégia é estimular a adoção de bons hábitos alimentares e mostraro que se pode produzir para consumo na alimentação escolar, além de destinar o excedente à própria comunidade estudantil.

“Tudo é pensado e executado em equipe, valorizando e fortalecendo o ambiente de trabalho. Sabemos que uma horta pode se tornar um laboratório vivo para diferentes atividades didáticas”, observou Alan.

Além disso, a horta oferece vantagens para a comunidade escolar, com uma variedade de alimentos frescos e orgânicos que pode reforçar a alimentação escolar.

O resultado da seleção será divulgado no site da Seduc no dia 12 de dezembro.

Veja também

Rio Grande do Sul: 18 escolas públicas de Porto Alegre retomam aulas nesta segunda-feira (20)

Padre Augustinho Bona que morreu em Sorriso ontem, será sepultado no Paraná

Corpo de bombeiros captura cobra cascavel em empresa de Sorriso

Governador defende eficiência e que Brasil lidere setor da economia verde

Medida Provisória do Auxílio Reconstrução do Rio Grande do Sul entra em vigor

Ministro Alexandre de Moraes suspende por mais 90 dias processo sobre Ferrogrão no STF