Homem de 34 anos é preso pela Polícia Civil por tentativa de estupro contra mulheres em Ipiranga do Norte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Um homem de 34 anos foi preso pela Polícia Civil nesta sexta-feira (06.08), em Ipiranga do Norte (420 km ao norte de Cuiabá) por estupro tentado praticado contra três vítimas no município.

O investigado foi localizado em uma chácara, onde os policiais civis do Núcleo de Violência Doméstica e Crimes Sexuais da Delegacia de Sorriso cumpriram o mandado de prisão expedido pela 2ª Vara Criminal de Sorriso. A ação contou com apoio da Polícia Militar de Ipiranga do Norte.

Conforme a apuração realizada pela Polícia Civil, as vítimas foram perseguidas pelo suspeito, que se utilizou da mesma tática para abordar as mulheres, em datas distintas durante o mês de julho, no período da noite.

Em uma das ocorrências, o investigado estava em seu carro e ao avistar a vítima começou a persegui-la pela rua, quando a atacou, forçando a vítima a entrar no veículo. Ele somente não conseguiu, porque a mulher começou a gritar por socorro chamando a atenção de populares.

Em outro ataque do suspeito, a vítima retornava para sua casa quando foi abordada pelo homem que estava em um veículo Palio branco. Ele se aproximou e pediu informações sobre a localização de uma distribuidora de bebidas, quando a vítima forneceu a indicação e seguiu pela rua.

Mais adiante, o suspeito andou com o carro na contramão e perguntou novamente onde ficava a distribuidora. A mulher relatou que, nesse momento, sentiu medo e começou a andar mais rápido e quando estava em frente à distribuidora de bebidas, o homem mais uma vez lhe abordou e ela correu para sua casa e se abrigou, quando viu que o suspeito desceu do carro e estava na rua lhe procurando.

Diante das informações colhidas durante a apuração e o relato das vítimas, a equipe de investigação conseguiu chegar à identificação do suspeito, que teve a prisão preventiva representada à Justiça pelo delegado Márcio Henrique Portela, com base na materialidade do delito e indícios de autoria. “Foi representada pela prisão preventiva para garantia da ordem pública e aplicação da lei penal, garantia da instrução criminal, dada a periculosidade do representado” explicou o delegado.

O investigado foi conduzido à Delegacia de Sorriso e após realização de exame de corpo de delito foi encaminhado para a unidade prisional do município.