(66) 3544-2595

Telefone

(66) 99634-6964

WHATSAPP

Homem é condenado a mais de 120 anos de prisão por abusos sexual de crianças em Sorriso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

No Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que foi instituído oficialmente no país através da lei nº 9.970, de 17 de maio de 2000, dando ensejo à campanha “Maio Laranja”, do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, capitaneada pelo Conselho Nacional de Justiça e com adesão do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, com o objetivo de conscientizar, orientar e educar para prevenção contra qualquer tipo de abuso ou violência sexual contra crianças e adolescentes, assim como alertar para a identificação dos primeiros sinais de vitimização, o juízo da Segunda Vara Criminal da Comarca condenou V. D. M. a 121 (cento e vinte e um) anos de prisão, em regime inicial fechado pela prática de abusos sexuais perpetrados de forma reiterada em desfavor de 04 (quatro) crianças e adolescentes da própria família do acusado.

Segundo restou apurado nos autos, o réu morava na zona rural do município de Sorriso/MT, e se aproveitava do fato de que as vítimas, ainda crianças, quando ainda tinham por volta de 05 a 06 anos de idade, eram levadas pelos próprios pais, que nada sabiam, até a propriedade, para passarem os fins de semana, momento em que os abusos ocorriam.

Além, descobriu-se que os abusos sexuais ocorriam também, por vezes, durante as confraternizações de família, e também dentro da própria casa dos pais das vítimas, enquanto todos estavam distraídos, eis que o investigado sempre estava perto das crianças nas reuniões, preferindo a companhia delas à dos adultos da família, tendo o mesmo abusado de crianças filhos de primos e sobrinhos, até estas atingirem a adolescência, quando os abusos diminuíam, diante do risco maior de que contassem o que acontecia.

O acusado continua preso e da sentença ainda cabe recurso.

Publicidade

Notícias Recentes