Isaquias Queiroz leva a medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Isaquias Queiroz conquistou na manhã deste sábado no Canal Sea Forest, na baía de Tóquio, a medalha de ouro na prova do C1 1000m da canoagem velocidade, com o tempo de 4m04s408. O baiano de 27 anos, que é o atual campeão mundial da distância, reafirmou sua condição de ícone da elite internacional da modalidade. Velejador baiano iguala a marca de Serginho e Gustavo Borges e tem o objetivo de se tornar o brasileiro com mais conquistas em Olimpíadas.

– Tô meio que aéreo ainda… É diferente ganhar uma medalha de ouro. Estou feliz, mas estou mais feliz por estar deixando vocês no Brasil mais felizes (…). É um trabalho longo, de uma vida inteira. Larguei tudo na minha vida para me dedicar ao esporte, não só eu, mas minha esposa também. Minha mãe passou por muita coisa na vida e hoje está vendo o filho medalhista de ouro, dedico a ela também essa medalha – disse Isaquias.

Agora, o brasileiro soma quatro medalhas olímpicas em sua carreira (o ouro de Tóquio e duas pratas e um bronze da Rio 2016). Foi o único brasileiro em toda a história a conquistar três metais em uma única edição do megaevento. Ele também ostenta 12 pódios em Campeonatos Mundiais (dos quais seis ouros) e quatro em Jogos Pan-Americanos (três ouros).

A medalha de prata ficou com o chinês Hao Liu, com o tempo de 4m05s724. O bronze é de Serghei Tarnovschi, da Moldávia, com 4m06s069.

Confira como ficou a classificação da final:

1. Isaquias Queiroz (Brasil) – 4m04s408

2. Hao Liu (China) – 4m05s724
3. Serghei Tarnovschi (Moldávia) – 4m06s069
4. Adrien Bart (França) – 4m06s171
5. Martin Fuksa (Rep. Tcheca) – 4m08s755
6. Conrad Scheibner (Alemanha) – 4m13s725
7. Fernando Dayan Enriquez (Cuba) – 4m13s918
8. Pengfei Zheng (China) – 4m14s048

Antes da finalíssima, uma chuva forte caiu na baía de Tóquio em decorrência da passagem de um tufão na região. Cerca de 20 minutos antes da largada, porém, os céus deram uma trégua e permitiram que a disputa se desenrolasse sem problemas.

Nas eliminatórias, na manhã de sexta-feira no Japão (quinta à noite no Brasil), Isaquias já se impôs e marcou o melhor tempo no geral. Na manhã deste sábado, venceu a segunda bateria semifinal e, após sorteio, foi balizado na raia 4 na final.