Jovem encontrado morto em Sorriso foi atropelado; vítima estava embriagada

A informação foi repassada à imprensa pelo delegado da PJC, Dr. Bruno França em coletiva nesta manhã.

A vítima, identificada como Valdecir Manoel Pinto, 34 anos, foi encontrada às margens da avenida Claudino Frâncio. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas só pode constatar o óbito.

A PJC iniciou investigação imediatamente e com imagens das câmeras instaladas na região, concluiu que foi um ônibus que atropelou Valdecir. “Concluímos que não se trata de homicídio. Trata-se de uma situação de atropelamento. O condutor atropelou a vítima e se evadiu do local com intenção de se furtar à aplicação da lei penal”, disse o delegado Dr. Bruno.

O ônibus em questão é de fora da cidade e prestava serviços aqui. O condutor foi detido com flagrante lavrado pela PJC.

O delegado explicou que o motorista do ônibus disse que não percebeu que atropelou o rapaz. “Ele alega que não sentiu o impacto. Analisando o veículo vimos um grande dano na coluna direita na parte da frente do ônibus. Existem vestígios de sangue e material genético. E as câmeras de segurança indicam que era o ônibus. Não temos dúvida de qual era o veículo. Ele nega. A polícia civil não acredita nesta versão. APJC acredita que é caso de culpa concorrente porque a vítima estava visivelmente embriagada. Não temos imagens da colisão, mas dos momentos imediatamente anteriores e a vítima estava caminhando em ziguezague na rua. O que não justifica a colisão, nem a fuga do local, nem a tentativa de ocultar o ocorrido”, explicou o delegado.

Veja também

Obra da Avenida Brescansin está em fase de conclusão com liberação do tráfego segunda-feira

Vício em jogos foi tema de entrevista com Psiquiatra no programa A Voz do Povo

Juíza Emanuele Navarro Mano fala sobre adoção no Programa A Voz do Povo

Sorriso: condutor perde controle de veículo e colide em poste na avenida Claudino Frâncio

Delegado titular da DHPP fala sobre combate ao tráfico, guerra de facções e gestos ou sinais

Dia dos Namorados: Psicólogas falam sobre autocuidado e como escapar das armadilhas da carência