Justiça determina que empresário acusado de torturar ex-namorada por 4h com barra de ferro em MT seja transferido para clínica no PR

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

A Justiça determinou que o empresário Jhonatan Galbiatti Mira, suspeito de espancar a ex-namorada dele por 4 horas, em maio deste ano em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, seja internado em uma clínica de reabilitação em Cascavel (PR). A decisão é do juiz Roger Augusto Bim Donega, da 2ª Vara Criminal de Primavera do Leste.

O advogado da vítima, Fabiano Dalloca, disse que ficou perplexo com a decisão e que vai recorrer.

“Quando tive acesso a essa decisão fiquei perplexo. Em mais de 600 casos criminais que advoguei em todo o Brasil nunca vi algo parecido, tendo em vista, que não existe na lei previsão para prisão domiciliar quando a pessoa é dependente de tóxicos”, disse.

Além disso, segundo o advogado, os familiares e a própria vítima receberam essa notícia com muita tristeza e decepção, ante a tamanha crueldade do crime.

“Somente por um verdadeiro milagre que ela ainda está viva. As fotos e laudos médicos juntados nos autos demonstram as graves lesões físicas sofrida pela vítima, sem contar o abalo emocional que ela vive, tendo que tomar remédios e fazer tratamento psicológico para suportar a dor. Entrarei com os recursos cabíveis para ser reformada tal decisão”.

Conforme o juiz, Jhonatan não apresenta perigo à sociedade e nada sinaliza que queira se furtar à aplicação da lei penal ou que esteja colocando em risco a instrução criminal por meio de ameaças a vítima e testemunhas, até porque Jhonathan ficará internado em uma clínica de reabilitação de dependência química.