Mato Grosso se destaca como o 3º estado menos desigual do Brasil, aponta estudo

De acordo com dados compilados pelo Observatório de Desenvolvimento Econômico da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), a diferença de renda entre os mais ricos e os mais pobres em Mato Grosso reduziu em 20% ao longo de 12 anos. O estado agora ocupa a posição de terceiro estado menos desigual do Brasil. Essas informações foram obtidas a partir dos dados preliminares do Censo 2022 do IBGE e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

O índice de Gini, que mede a desigualdade socioeconômica, refletiu essa redução, registrando um valor de 0,45 no Censo 2022 em Mato Grosso. As melhores colocações foram alcançadas por Rondônia (0,447) e Santa Catarina (0,419), este último sendo o estado com menor desigualdade do país. Comparativamente, no Censo de 2010, Mato Grosso ocupava a 7ª posição, com índice de 0,5652. Já no Censo de 2000, o estado estava em 12º lugar, com índice de 0,6278.

Maxwell da Silva Santos, economista do Observatório de Desenvolvimento Econômico, ressaltou que a geração de emprego e renda tem desempenhado um papel importante no fluxo da troca de bens e serviços, impulsionando o aumento da distribuição de renda na sociedade como um todo. Ele destacou também a importância das políticas de redistribuição de renda, como o SER Família, que proporcionam acesso a uma renda mínima para as camadas mais pobres da população.

O governador Mauro Mendes expressou sua satisfação com os resultados, enfatizando que eles refletem o caminho certo tomado por sua gestão. Ele mencionou os investimentos em políticas sociais, habitação, qualificação e geração de emprego, bem como as diversas obras e ações promovidas pelo governo, juntamente com as medidas para atrair mais empresas para o estado, como fatores que impulsionaram o desenvolvimento e contribuíram para o aumento de renda e qualidade de vida da população.

César Miranda, titular da Sedec, demonstrou otimismo e projetou um futuro ainda menos desigual para Mato Grosso, devido aos investimentos realizados nos últimos anos e os planejados pelo governo. Ele destacou a diversificação da economia, o incentivo à industrialização, a abertura de novas empresas e a implementação de incentivos como fatores que promovem a distribuição de renda em todas as camadas da população. Miranda expressou sua expectativa de que Mato Grosso possa até mesmo ultrapassar Santa Catarina nesse aspecto.

Os resultados evidenciam o esforço do estado em promover um ambiente mais equitativo e inclusivo, com a redução da desigualdade socioeconômica e a busca por um desenvolvimento mais abrangente para todos os cidadãos mato-grossenses.

Veja também

Aparelho de som é apreendido e duas são detidas após perturbação do sossego e injúria racial

Rotam prende homem com espingarda após ele ameaçar comunidade

Usuário e traficante são detidos pela Rotam em Sorriso

Sorriso: sábado (24) é dia de feirinha de adoção na Praça das Fontes

Governador destaca competência dos novos desembargadores e acredita que prestação de serviços na Justiça será ampliada

Caixa lança edital de concurso com 3,2 mil vagas para técnicos