Geral

MP quer suspensão imediata das aulas em Sorriso e vedação de eventos públicos e privados

Por: Ivan Oliveira Publicado em 17/03/2020

Os promotores Marcio Florestan Berestina, Élide Manzine de Campos e Maisa Fidéliz Gonçalves Pyrâmides, assinam documento entregue ao secretário de saúde e presidente do Comitê de Monitoramento do Coronavírus (COVID-19) de Sorriso, Luis Fábio Marchioro, documento com recomendação para adoção de 10 medidas para evitar a proliferação do vírus. A Sorriso FM teve acesso ao documento que, entre as medidas, o órgão ministerial requer a suspensão das aulas imediatamente.

Segundo consta do documento, “no prazo de 24 horas, adotar as providências administrativas e legais necessárias para determinar a suspensão das aulas também nas escolas particulares de Sorriso, a qual deverá perdurar pelo prazo mínimo de 15 dias, reavaliando-se a necessidade ou não de prorrogação da referida medida após o transcurso do citado período”.

A promotoria busca ainda a adoção de “providências legais e administrativas necessárias para vedar a realização de eventos públicos ou particulares que possam ter aglomeração de pessoas”.

O documento recomenda outras medidas que devem ser adotadas pelo governo municipal, entre elas, no prazo máximo de cinco dias a capacitação de agentes de saúde, campanha publicitária de conscientização, criação de Central de Atendimento Municipal via aplicativo de celular.

Já com prazo de 24 horas os promotores querem fiscalização do PROCON da pratica de preços abusivos em farmácias, mercados e quaisquer outros estabelecimentos que eventualmente tenham aumentado os preços em razão da pandemia.

O documento recomenda ainda que em 48 horas sejam providenciados álcool em gel e outros produtos de higiene para passageiros que cheguem no aeroporto regional de Sorriso e rodoviária municipal.

Todos os detalhes no programa A Voz do Povo, amanhã, às 10h.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, o município de Sorriso deveria montar leitos de UTI?