Mulher fica presa em casa em chamas e morre carbonizada em MT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Uma casa pegou fogo no início da manhã desta segunda-feira (16), nas proximidades do bairro Alvorada, em Peixoto de Azevedo (691 km da Capital), onde uma senhora, identificada apenas como ‘Vó Baiana’, moradora da residência, morreu carbonizada.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para combater as chamas, que se alastraram rapidamente pelo imóvel, que era de madeira e ficou completamente destruído pelo fogo. No trabalho foi necessário o apoio do Núcleo Bombeiro Militar de Guarantã Do Norte e de um caminhão-pipa disponibilizado pela Prefeitura de Peixoto de Azevedo.

Embora a casa tenha ficado completamente destruída, os militares conseguiram impedir que o fogo atingisse casas e comércios vizinhos.

O filho de ‘Vó Baiana’ estava em casa na hora do incêndio, tentou salvar a mãe, que estava no quarto, mas não teve tempo devido às chamas se alastrarem rapidamente e a senhora acabou morrendo no cômodo.

O rapaz recebeu atendimento de emergência, pois, também sofreu queimaduras.

A Polícia Militar (PM) isolou o local para que os bombeiros pudessem trabalhar no combate às chamas e, em seguida, fazer o rescaldo para evitar que focos do incêndio dessem reinício ao fogo.

A Delegacia de Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas e assumiram os procedimentos no andamento da ocorrência.

Ainda não há informações oficiais sobre as causas do incêndio, mas segundo as primeiras informações, uma vela acesa teria caído e dado início ao fogo dentro de casa.

Os peritos analisaram todo o local, inclusive o corpo carbonizado, para coletar evidências que determinem as causas e circunstâncias do fato. Em seguida, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia.

Os investigadores acompanharam todo o trabalho no local e agora aguardam laudo da perícia para dar continuidade na apuração e conclusão do caso.