“Nossos Policiais estão sendo acusados de serem criminosos, quando atuaram em defesa da sociedade e da própria vida” afirma comandante geral da PM

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, saiu em defesa da corporação e dos policiais militares que hoje, dia 31, foram alvo da “Operação Simulacrum”. “O que estão fazendo com os nossos policiais é um absurdo. Eles estão sendo acusados de execuções, quando atuavam em defesa da sociedade e da própria vida”, afirmou o comandante.

Na avaliação de Assis, são fatos tirados de um contexto e que desvirtuam a realidade do que aconteceu. “Os 24 casos de homicídios, que culminaram com essa operação, foram registrados em boletins de ocorrência e em eventos totalmente distintos, ja eram objetos de apuração em Inquéritos Policiais Militares sob o controle do Poder Judiciário e Ministério Público. Os nossos policiais e oficiais estavam no combate, em defesa da sociedade. Agora, quem protegeu, resguardou o cidadão de bem, é taxado como bandido. Isso é uma inversão de valores que não vamos permitir que aconteça”, ressaltou.

“Cada caso deve ser investigado em separado. Agora juntaram todo mundo, como se fosse uma grande quadrilha. São homens que colocam todos os dias a própria vida para defender a sociedade. Que estão frente a frente com bandido. Que saem de casa e não sabem se irão voltar, porque tem como único objetivo proteger o cidadão. Agora estão todos com o nome e sobrenome expostos na imprensa e o bandido que mata, estupra e rouba não pode divulgar o nome, o rosto a profissão, porque a lei protege. Defendo Instituição, meus homens e suas prerrogativas e o direito a ampla defesa e o contraditório, ninguém pode ser considerado culpado antes de uma sentença condenatória definitiva”, ressaltou.

O comandante ainda destacou que os policiais acusados atuam nas unidades especializadas da corporação. “Ações como essa só fortalecem a criminalidade. Quem vai querer ser um policial militar de ponta? Quem vai querer ir para a rua proteger a sociedade de uma ameaça real? Quem irá para um confronto ou entrar na mata para capturar criminosos, se não tem a certeza que o sistema está ao lado dele? Quem terá a coragem de proteger o cidadão quando este estiver ameaçado por um bandido armado?”, questionou.

Assis ainda ponderou que essa operação, da forma como foi feita, só prejudica a corporação, pois tenta confundir a opinião pública, “pois transforma policiais em bandidos”. “Não defendemos ilegalidade, não defendemos nada que vá contra as leis e nossos regimentos. Mas, não podemos permitir que a imagem dos nossos homens seja jogada na lama. Eles estavam no exercício da função. POLICIAL TEM FAMÍLIA, e nenhum sai de casa para matar ninguém. Nem entra na viatura e diz hoje vou matar um bandido porque vai passar boa parte de sua carreira respondendo na justiça. Força letal só é usada para defender o cidadão ou a própria vida”, disparou.

Ele ainda afirmou que desde o início da operação a Polícia Militar através da Corregedoria e dos Comandos Regionais envolvidos estão acompanhando todas as conduções e oitivas. “Além disso, as associações ASSOADE, ACS disponibilizaram equipes jurídicas para acompanhar os nossos policiais militares e que eles não estão sozinhos”.

O Comandante destacou ainda que a PMMT é única instituição presente nos 141 municípios e que trabalha diuturnamente em prol da sociedade “e conclama que essa mesma sociedade continue confiando na Polícia Militar, afinal são 187 anos defendendo a sociedade mato-grossense”.

 

 

 

Troca de comando 

Governador dá posse ao novo comandante-geral da PM nesta sexta-feira (1º)

O governador Mauro Mendes fará nesta sexta-feira (01.04) a troca do Comando Geral da Polícia Militar. Deixa o cargo o coronel José Jonildo de Assis, para assumir a função o também coronel Alexandre Correa Mendes.

A solenidade será às 18h30, no Quartel do Comando Geral da PM.

A troca do comando ocorre a pedido do próprio coronel Assis. Já o coronel Mendes assume o cargo por escolha do governador.

“O coronel Mendes assume para garantir a continuidade do trabalho que estamos desempenhando na segurança pública de combate ao crime organizado e controle dos índices de criminalidade. Desejo sucesso a ele e agradeço ao coronel Assis por todo esse tempo e dedicação ao Estado de Mato Grosso”, afirmou Mauro Mendes.

Ex-comandante

O coronel da Polícia Militar, Jonildo José de Assis, tomou posse como comandante-geral da PM no dia 10 de janeiro de 2019.

Assis foi definido pelo governador Mauro Mendes e secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, com o objetivo de fortalecer a integração entre as forças de segurança para otimizar o trabalho, controlar os índices de criminalidade e combater o crime organizado.

O coronel Assis tem 46 anos e ingressou na carreira militar em 1995. A primeira função desempenhada foi a de comandante do Pelotão do Corpo de Alunos de Formação de Soldados do 6º BPM, em Cáceres.

Ele ocupou outras posições de destaque, entre elas, como comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais da PM, Comandante e Coordenador do Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron), e secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp de setembro de 2017 até assumir o comando-geral da PM.

 

 

Maninho Veículos
LCI Telecom
Programa Estação Sicredi

Veja também

07121132_pix-marcel

Crimes virtuais e Pix impulsionam aumento de 179% dos estelionatos

Ciopaer - resgate

Ciopaer atua em operações com prisão de três pessoas por roubo e recuperação de veículos avaliados em R$ 300 mil

Veículo depen

Penitenciária Feminina recebe veículo adaptado para atendimento de mulheres grávidas e com deficiência

20.06 Rotam realiza 1º Workshop de APH em Combate para policiais de MT e outros estados

Rotam realiza workshop sobre atendimento pré-hospitalar em combate para policiais de MT e outros Estados

Incineração-Primavera-1-990x556

Polícia Civil incinera 800 quilos de cocaína e drogas sintéticas em Mato Grosso

62ab2b03af065

Tragédia: parede de silo desaba e mata trabalhador em Santa Carmem