Operação no Salto Magessi destrói pesqueiros clandestinos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Também foram recolhidos espinhéis, anzóis, redes e muito, muito lixo
Até horta. Couve, cebolinha, verduras e temperos variados integravam o cenário composto por pesqueiros com chuveiro, geladeira e freezer. Parece um sonho, não? Não. Não é sonho. É pesadelo. Uma operação deflagrada nesta quinta-feira (25) acabou com a diversão de quem usava o Parque Estadual do Salto Magessi, uma área de preservação permanente, como ponto de pesca, com a utilização de equipamentos proibidos e, o mais cruel, em pleno período de Piracema.

Ao todo, 15 pessoas participaram da ação, entre representantes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), da Polícia Militar (PM), do Núcleo Integrado de Fiscalização e Coordenação de Proteção e Defesa Civil (Compdec) da Prefeitura de Sorriso. Representantes do projeto Repoflora também acompanharam a ação, que teve início às 14h, saindo da sede do Município e foi concluída às 20h, quando os integrantes da operação deixaram o Distrito de Boa Esperança.

De acordo com o coordenador do NIF, Reinaldo Nunes, três barracos foram destruídos, e foram retirados anzóis de galho, redes de pesca e espinhéis. Além da questão da pesca predatória, que é crime, os fiscais deparam-se ainda com outro problema: muito lixo acumulado no local, que encheram cinco bags. “Enquanto uma equipe atuava no rio, outra limpava a região de mata ciliar, tentando mitigar os estragos provocados e outra derrubava os barracos, feitos com madeira retirada da mata”, comenta o coordenador, destacando a importância da participação do diretor-regional da Sema em Sinop, Gabriel Conter São José, na operação.

De acordo com Reinaldo, todo o material de pesca apreendido está com a Sema e o ponto vai continuar recebendo atenção especial, para coibir tal prática. “É um crime ambiental que prevê multa e também detenção que pode variar de um a três anos”, afirma Reinaldo. Já os resíduos que permitem reciclagem, como garrafas pet, lona, embalagens e latas de alumínio foram destinados ao programa Eco Sorriso.

Maninho Veículos
LCI Telecom
Programa Estação Sicredi

Veja também

thumb__1280_0_0_0_auto - 2022-05-16T170400.704

Dia de Campo irá apresentar a realidade de uma Horta Urbana

d76eb84ff0357e28e686d391b7b402ee

Novo pedido de mineração em parque é feito durante discussão na AL sobre extinção

515x380_dca10991e61a94e8a278964c2c017751

Onda de frio pode fazer temperatura cair para 9 graus em Sorriso na próxima semana

cobra

Cobra cascavel com duas cabeças que teria sido encontrada em MT não seria real, segundo biólogo

garcia neto_ MEV-2043

Estado assina parceria com ABNT para a certificação de empresas “carbono neutro” de Mato Grosso

GCF_ MEV-1965 (1)

Estados da Amazônia Legal planejam ações integradas de combate a crimes ambientais