Palestras em Sorriso exploram os benefícios dos Círculos de Paz no ambiente escolar e de convivência

Durante dois dias consecutivos, uma série de palestras foi realizada em Sorriso com o objetivo de esclarecer o funcionamento dos círculos de paz e como eles podem auxiliar no ambiente escolar, bem como em outros ambientes de convivência e trabalho.

Os círculos de construção de paz são uma ferramenta ancestral utilizada por nossos antepassados, que se reuniam em círculos para tratar de situações conflitantes ou comemorativas. O tema, tão antigo quanto moderno, foi apresentado pela facilitadora e instrutora de Justiça Restaurativa e círculos de construção de paz, Katiane Boschetti da Silveira, assessora especial da presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para Justiça Restaurativa.

As palestras ocorreram no auditório Farroupilha, no Centro de Eventos Rota do Sol, durante as tardes de segunda e terça-feira, nos dias 19 e 20. No primeiro dia, aproximadamente 200 pessoas, incluindo professores, equipes gestoras de escolas municipais e estaduais, e representantes da Secretaria de Assistência Social, participaram do encontro. No segundo dia, outras 200 pessoas, representando escolas privadas, faculdades, OAB, Defensoria Pública, Polícia Militar, Guarda Municipal, CRS, Câmara Municipal, Ministério Público, Polícia Civil, Conselhos da Criança e Adolescente, da Pessoa Idosa e da Mulher, Rede de Proteção, Secretaria de Saúde, Secretaria de Cultura, e representantes de Nova Ubiratã e Ipiranga do Norte, também estiveram presentes.

Durante a abertura, o Dr. Anderson Candioto ressaltou que esses encontros têm o objetivo de explorar o poder transformador das práticas restaurativas, uma abordagem que busca fortalecer os relacionamentos e construir comunidades mais saudáveis dentro dos ambientes escolares. Ele enfatizou que as práticas restaurativas são baseadas em valores como respeito, empatia e responsabilidade, proporcionando espaços seguros para a resolução de conflitos e a construção de vínculos positivos.

O prefeito Ari Lafin reiterou seu compromisso com ambientes saudáveis e pacíficos, com diálogo e comunicação efetiva, e expressou sua expectativa de que essa prática seja adotada não apenas nas escolas, mas em todos os ambientes públicos e privados, para a transformação da sociedade.

Uma das principais ferramentas das práticas restaurativas são os círculos de paz, que oferecem um espaço estruturado onde os participantes podem compartilhar suas experiências, expressar sentimentos e ouvir uns aos outros de maneira respeitosa. Os círculos de paz promovem a escuta ativa, a compreensão mútua e a construção de consenso, contribuindo para a melhoria do clima escolar e o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais dos estudantes.

Durante o evento, os participantes tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o conceito das práticas restaurativas, explorar casos de sucesso na aplicação dos círculos de paz em diferentes escolas e refletir sobre como incorporar essas abordagens em suas próprias práticas educacionais. Nesta etapa inicial, o objetivo do Judiciário é esclarecer o funcionamento dos círculos de construção de paz, despertando o interesse dos participantes em se tornarem facilitadores.

Durante o evento, também foram realizadas inscrições para integrar as turmas que receberão formação para se tornarem futuros facilitadores. Essa formação terá início na última semana de julho, com a participação de técnicos do Tribunal de Justiça do Mato Grosso. O curso terá uma duração inicial de 20 horas, capacitando os participantes a conduzir círculos. Após essa primeira etapa, haverá mais duas etapas, totalizando 100 horas de formação para se tornarem facilitadores de círculos de construção de paz.

Sobre a palestrante:

Katiane Boschetti da Silveira é pedagoga e especializanda em prevenção e posvenção do suicídio. Além disso, ela é facilitadora e instrutora de justiça restaurativa e círculos de construção de paz, além de atuar como assessora especial da presidente do TJMT para justiça restaurativa. Ela integra o corpo docente da Escola da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul- AJURIS e do Programa Justiça para o Século 21 do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul. Anteriormente, foi secretária municipal de Assistência Social de Caxias do Sul-RS e participou de projetos como o Programa Escola+ (mais) Paz, em Porto Alegre, e o Programa Municipal de Pacificação Restaurativa de Caxias do Sul – O Caxias da Paz.

galeria de imagens

Veja também

Governador envia projeto para tornar obrigatório o uso de uniformes nas escolas estaduais

Governo de Mato Grosso regulamenta Programa de Escolas Estaduais Cívico-Militares

Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil em Sorriso fala sobre adaptação de alunos na volta às aulas

Promotoria de Justiça de Sorriso instaura Procedimento Administrativo para cumprimento da Lei Estadual do Livro e da Leitura

Reformas em escolas municipais alteram cronograma de retorno às aulas

Governo de Mato Grosso mantém a meta de ampliar o número de alfabetizados até 2025