Polícia Civil prende avô que estuprou a própria neta durante 3 anos

A Polícia Civil de Mato Grosso prendeu nesta sexta-feira (02.02), no interior de Mato Grosso do Sul, um homem investigado por abusar sexualmente da neta durante três anos em Poconé-MT. O mandado de prisão foi cumprido com apoio da Delegacia de Coxim-MS.

Conforme a investigação instaurada pela Delegacia de Poconé em maio do ano passado, quando o crime foi denunciado, os abusos praticados por S.N.S. de 57 anos, começaram quando a vítima tinha apenas nove anos e perduraram até ela completar 12 anos.

A Polícia Civil representou pela prisão do investigado que, após manifestação favorável do Ministério Público, foi deferida pelo Poder Judiciário.
Durante a investigação, a Delegacia de Poconé apurou que os abusos começaram após a morte da avó materna da criança. Nas ocasiões em que o avô vinha do sítio onde morava, ele se hospedava na casa da filha, mãe da vítima, período em que ocorreram os abusos.

No período em que cometeu o crime, o avô chegou a ameaçar a criança para que não contasse a ninguém sobre os abusos porque, se ele fosse preso, seria morto.
A vítima contou sobre os abusos a uma colega da escola, que informou o fato a uma funcionária da unidade de ensino e o crime chegou ao conhecimento do Conselho Tutelar.
Após ser intimado para interrogatório na delegacia, o investigado fugiu de Poconé.

Mesmo com a fuga, diante de todos os elementos colhidos, o inquérito foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário.

Prisão
Após troca de informações entre as Polícias Civis dos dois estados, a Delegacia de Poconé indicou a localização do foragido, que foi preso pela equipe da Delegacia de Coxim. Após a prisão, ele aguardará manifestação do Poder Judiciário para a transferência a Mato Grosso.

Veja também

Homem é baleado no Jardim Carolina e é socorrido ao Hospital Regional de Sorriso

Sorriso: corpo de homem carbonizado é encontrado dentro de veículo

Ex-padrasto de vítima de estupro é preso após ameaçar mãe da criança para não denunciar crime

Ação integrada da PM e PRF apreende 200 quilos de drogas em Barra do Garças

“Considero o fim da ‘saidinha’ um avanço legislativo, mas precisamos de muito mais”, afirmou a primeira-dama de MT, Virginia Mendes.

Mulher é mantida em cárcere privado e agredida pelo marido; cortou seu cabelo com facão