(66) 3544-2595

Telefone

(66) 99634-6964

WHATSAPP

Primeiro corte do curta “O Minhocão do Pari” é exibido em Sorriso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Cumprindo agenda no interior de Mato Grosso, o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) Alberto Machado, o Beto Dois a Um, visitou na noite de quinta-feira (01.07), a sede do laboratório de comunicação e cultura (LabCom) Ribalta Sorrisense, em Sorriso (a 420 km de Cuiabá). Na ocasião, foi exibido o primeiro corte do curta-metragem “O Minhocão do Pari – a origem da lenda”, do cineasta Salles Fernandes.

O filme foi um dos projetos aprovados no edital MT Nascentes, realizado pelo Governo de Mato Grosso por meio da Secel-MT. As gravações da ficção foram realizadas em Sorriso, de março a junho de 2021. A direção e o roteiro do filme são assinados por Salles Fernandes. A produção gerou cerca de 30 empregos diretos e indiretos, uma equipe composta por mato-grossenses.

O secretário da Secel destacou a democratização dos recursos da lei Aldir Blanc em Mato Grosso. “Estar aqui e ver o resultado do projeto é muito importante para nós. Uma das nossas funções enquanto gestores é essa, estar perto dos nossos artistas, de quem produz cultura. Fico emocionado em estar aqui, saber que estamos fazendo uma gestão diferente. Queremos que os recursos cheguem a mais pessoas”, diz Beto Dois a Um.

João Felipe/Secel-MT

A equipe da produção audiovisual enfrentou muitos contratempos em razão da pandemia. O filme está na fase de edição e o lançamento está programado para o final de julho. Para Salles Fernandes a presença da Secel foi muito representativa para cultura de Sorriso. “É um momento histórico para a cultura do interior de Mato Grosso. Agradecemos a atenção dada por toda a equipe da Secel. Quanta honra recebê-los aqui”.

Também estiveram presentes o secretário adjunto de Cultura, Jan Moura, a secretária adjunta de Administração Sistêmica, Eliane Paula da Silva, a superintendente de Políticas Culturais, Cínthia de Miranda Mattos, e a superintendente de Desenvolvimento da Economia Criativa, Alessandra Keiko Galvão Okamura.

A origem da lenda

O curta-metragem “O Minhocão do Pari – a origem da lenda” tem uma linguagem fictícia e dinâmica ao tratar de um assunto que está no imaginário de muitos mato-grossenses, principalmente dos ribeirinhos que vivem às margens do rio Cuiabá.

A lenda diz que havia uma cobra gigante que habitava as profundezas do rio Cuiabá e, vez ou outra, virava barcos para devorar os pescadores. O movimento do minhocão era tão forte que levantava grandes ondas e desmoronava barrancos. Dizem que o Minhocão do Pari desapareceu da região durante a grande enchente de 1974.

O filme de ficção se baseia em revelar a origem da lenda do Minhocão do Pari. Para dar veracidade a trama, a produção construiu cenários e figurinos de época, já que a história se passa no século XIX. “É nessa estória de fantasia que revelaremos a origem de uma das lendas mato-grossenses, que envolve muito mistério e crenças populares”, conta Salles Fernandes.

Fazem parte do elenco principal Etiane Maiara Haamann, Francisco Guimarães, Bárbara Hoffmann, Gleison Knups e Giovani Oliveira. A direção de arte é de Gleison Knups, Gerson Winter diretor de fotografia e Rosivania Reichert produtora executiva. A proponente do projeto é a produtora Artimagem Produções com produção cultural do Camarim Mágico.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com