Safra de soja em MT deve ter quebra de 20%, diz pesquisa feita pela Aprosoja-MT

As ondas de calor e a redução das chuvas em Mato Grosso devem quebrar a produção da safra 2023/24 de soja em cerca de 20%, aponta pesquisa feita pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). O levantamento foi realizado com mais de 600 associados, abrangendo uma área de 862 mil hectares, ou 7,10% de toda área de soja em MT.
A pesquisa também aponta que os sojicultores de MT devem colher 36,15 milhões de toneladas nesta temporada, 9,16 milhões a menos que na safra anterior, quando a produção foi de 45,31 milhões de toneladas,este último dado, de acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).
A redução é pautada, principalmente, pela menor produtividade, que deve cair de 62,30 sacas por hectare para 49,68 sc/ha, nas propriedades pesquisadas.
De acordo com o projeto Aproclima, da Aprosoja-MT, as temperaturas máximas se mantiveram acima da média, em relação às registradas na safra passada, chegando até a casa dos 44 °C. Em Água Boa, região Leste de MT, por exemplo, a máxima de outubro de 2023 foi de 43 °C, contra 40 °C em 2022. Já em novembro, a máxima foi de 40 °C, contra 37 °C no mesmo período de 2022.
Noutra região produtora, no Médio-Norte, no município de Vera, a redução no volume de precipitação também chama a atenção. Nos meses de setembro, outubro e novembro deste ano, o volume de chuvas foi 52% menor que no mesmo período de 2022. As informações completas estão disponíveis no perfil do @Aproclima no Instagram.
Os produtores também responderam sobre como estão as áreas plantadas. Em média, 34,31% das lavouras estão em boa ou ótima situação, 37,7% estão regulares e 27,58% estão ruins ou péssimas. O estudo também aponta que a situação pode se agravar caso não ocorram chuvas regulares nas próximas fases de desenvolvimento das plantas.
Redução da área de milho segunda safra
O cenário de seca também provocou o atraso no plantio da oleaginosa e comprometeu a janela de semeadura do milho segunda safra, que deve ter área reduzida em 24,59%, aponta o levantamento. Segundo o Imea, o atraso na semeadura da soja nesta temporada é maior que a média dos últimos cinco anos.
A maior redução da área de milho segunda safra deve ser registrada na região Oeste, dentre as propriedades pesquisadas. Por lá, a redução pode ser de 42,31%. Já na região Leste, a redução deve ser de 25,42%; no Norte, 16,83% e, na região Sul, a área plantada do cereal deve ser 13,83% menor que na temporada anterior.
MT Clima e Mercado
Além dos dados da pesquisa, equipes da Aprosoja/MT e do Imea, na expedição MT Clima e Mercado, percorreram mais de 8 mil quilômetros acompanhando in loco a situação das condições das lavouras. Os episódios da série estão disponíveis no YouTube da Aprosoja-MT.

Veja também

Arroz: produtores e indústrias do Rio Grande do Sul pedem ao Ministério da Agricultura revisão das medidas

Ministério anuncia programa para conter avanço da praga caruru gigante

Vazio sanitário da soja começa dia 08 de junho em Mato Grosso

SEMA alerta que CAR será suspenso caso não haja resposta dos produtores

RS: enchentes comprometem fertilidade do solo e deixarão algumas lavouras irrecuperáveis

Sorriso: Clube Amigos da Terra prepara lançamento de Selo de Origem incentivando produção local