(66) 3544-2595

Telefone

(66) 99634-6964

WHATSAPP

Seduc realiza avaliação diagnóstica de aprendizagem na rede estadual de ensino

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Escolas estaduais realizam, nesta semana, a Avaliação Diagnóstica para verificar a aprendizagem dos estudantes do 2ª ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio. Aproximadamente 320 mil alunos devem fazer as provas, disponível também no formato digital. O Avalia MT começou na segunda-feira (24.05) e vai até sexta-feira (28.05).

A avaliação diagnóstica é feita pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), em parceria com a Caed (Fundação Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação, da Universidade de Juiz de Fora), e abrange questões de matemática e língua portuguesa. O objetivo é, a partir do resultado, fazer as intervenções necessárias para recuperação do aprendizado.

Na Escola Estadual Jayme Veríssimo de Campos Júnior, em Alta Floresta, parte dos estudantes agendou para fazer a prova impressa na própria escola. Para evitar algomeração e contaminação pelo coronavírus, são atendidos somente cinco estudantes por período, mantendo o distanciamento entre eles e o uso obrigatório de máscara e álcool em gel.

“Os professores ligaram para os familiares dos estudantes, explicando a importância da avaliação e a participação deles, e pedindo autorização para virem à escola. Excluímos casos de grupos de risco, fazemos a aferição de temperatura na entrada e organizamos a entrada com o tapete sanitizante”, explicou a coordenadora pedagógica Jakeline Santos Cochev da Cruz.

A unidade atende em período integral e tem 315 estudantes matriculados do 8º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. “A ideia é alcançar o máximo de estudantes possível para conhecermos o perfil de dificuldades e organizarmos propostas melhores para eles neste momento de pandemia”, disse Jakeline.

Tudo pela internet

A Escola Estadual Padre Tiago, em Mirassol D’Oeste, também enviou comunicado para os pais e responsáveis reforçando a importância de todos os estudantes fazerem a avaliação diagnóstica.  “Estamos aplicando [a prova] digital e impressa. Até o momento há uma boa participação dos alunos”, disse a coordenadora pedagógica da escola, Gleici Faneli.

Por causa do alto índice de contaminação da Covid-19 no município, a unidade de ensino optou por não realizar as provas com os alunos dentro das salas de aula, ainda que com agendamento. A medida foi tomada por questões de biossegurança.

Medidas de biossegurança

Na Escola Estadual Ivaldino Frâncio, em União do Sul, as avaliações diagnósticas ocorrem de forma presencial. O diretor Almir Pissaia Xavier da Silva explicou que a decisão foi tomada por causa da ausência de recursos tecnológicos de grande parte dos estudantes.

“Sabendo que nossos alunos possuem um acesso restrito à internet e visando obter resultados reais, realizamos uma parceria com a Secretaria Municipal de Educação, que é responsável pelo transporte, e os alunos estão vindo participar”, disse.

Ele reforçou que a escola está preparada com todos os equipamentos de biossegurança e que, para que a avaliação pudesse ser realizada, foram divididos grupos de seis a 12 alunos, distribuídos em salas de aula, mantendo o distanciamento necessário para evitar o contágio da Covid-19.

“Os alunos estão ansiosos pelo retorno híbrido, bem como os pais e professores da escola. Sabemos que vivenciamos um período difícil, mas a educação não pode parar. O prejuízo ao desenvolvimento cognitivo dos alunos é imenso”, afirmou o diretor.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com