Servidores do Ministério Público do Estado de Mato Grosso poderão entrar em greve a partir desta quarta-feira (27)

Os Servidores do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio de seu sindicato (Sindsemp/MT), irão deliberar sobre a possibilidade de greve, caso não tenham suas reivindicações atendidas pelo PGJ- Procurador Geral de Justiça, Antônio Borges Pereira.

A AGE- Assembleia Geral Extraordinária, será realizada no auditório da Procuradoria Geral de Justiça – PGJ, amanhã (27), as 17h, logo após as deliberações do Sindsemp/MT com o Procurador Geral de Justiça.

Entenda

No dia 18/07 a categoria realizou ato em frente a sede da Procuradoria Geral de Justiça, em protesto ao descumprimento das promessas de campanha feitas pelo atual PGJ, José Antônio Borges Pereira.

Ao final da manifestação, o PGJ encaminhou que receberia o Sindicato na quarta-feira (20), entretanto remarcou a reunião para amanhã, dia 27/07, alegando agendas externas.

A pauta de reivindicações abrange:
• A realização imediata de CONCURSO PÚBLICO, há dez anos não se faz concurso para servidores, atualmente 75% da força de trabalho é exercida por cargos comissionados e terceirizados; realização de CONCURSO DE REMOÇÃO de servidores, conforme previsto na lei da carreira; RECOMPOSIÇÃO DAS PERDAS INFLACIONÁRIAS dos salários, verbas de alimento e saúde.

 

Maninho Veículos
LCI Telecom
Programa Estação Sicredi

galeria de imagens

Veja também

f40b301580bfc887142ce75c7b7f3880

Maria Aparecida Fago é empossada como desembargadora do TJ

enfermeira_morta

Filho que matou enfermeira de VG continuará preso, decide juiz

capasamanta

Justiça mantém prisão de pai e filha envolvidos em suposto esquema de desvio de recursos da saúde em Sorriso

promotoriadesorriso

Caso João Ventura: Gestão foi alertada após primeiro pagamento por cirurgia não realizada

JOAO

Sorriso: paciente cujo nome foi usado para desviar mais de um milhão e meio de reais ainda não foi operado (vídeo)

WhatsApp Image 2022-07-26 at 17_57_29

MPMT requer suspensão de 22 leis que flexibilizaram porte de arma