(66) 3544-2595

Telefone

(66) 99634-6964

WHATSAPP

Soja: produtores de MT têm perdas de R$ 1,3 bilhão com excesso de chuva, diz Imea

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Os prejuízos aos produtores de soja de Mato Grosso com as chuvas em excesso entre os dias 19 de fevereiro e 4 de março somam R$ 1,3 bilhão, estima o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em estudo específico sobre o tema. Segundo a entidade, as chuvas entre o fim de fevereiro e início de março alcançaram volumes 49,37%, 43,90% e 55,12% superiores à média histórica para o médio-norte, nordeste e norte de Mato Grosso, respectivamente.

“Este excesso de precipitação prejudicou significativamente a qualidade das lavouras das regiões, que atingiram valores médios de avariados de 14,7%, 10,7% e 14,7%, para cada região acima citada, respectivamente (considerando período do dia 19/2 a 4/3/21)”, diz.

O Imea disse que, se considerado o desconto mínimo gerado pelo excesso de grãos avariados nas cargas, as deduções aos produtores seriam da ordem de R$ 897,88 milhões, mas destacou que os custos operacionais não estão embutidos nesse montante, assim como os descontos de umidade, que vêm sendo maiores na safra atual na comparação com a anterior.

Mais fatores soja

Outro fator contabilizado pelo instituto é que aproximadamente 30,89 mil hectares podem ser abandonados no estado, o que geraria prejuízo de R$ 401,82 milhões aos produtores, contabilizando a receita perdida e o custo de produção da área, segundo o Imea.

De acordo com o instituto, os prejuízos foram influenciados por uma combinação de condições desfavoráveis no plantio e durante a colheita. Segundo o Imea, primeiro as chuvas tardaram a ocorrer de maneira “mais volumosa e frequente” no Estado, o que levou muitos produtores que costumavam semear a soja logo nas primeiras semanas após o fim do vazio sanitário (em 15 de setembro) a adiar o cultivo da oleaginosa para o fim de outubro e início de novembro.

Contudo, como produtor de soja em Mato Grosso geralmente cultiva milho na segunda safra, que tem sua janela ideal de semeadura até o fim de fevereiro, houve forte aceleração nos trabalhos de campo entre a semana do dia 23 de outubro e 6 de novembro, quando foram semeados, em média, 429,56 mil hectares por dia, um recorde.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com