Conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

Ouça a melhor programação todos os dias. Sintonize 99,1 Sorriso FM - Do jeito que você gosta!

Educação


Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

Trabalhos iniciados em maio deste ano por pesquisadores brasileiros de várias instituições científicas verificaram que soros produzidos por cavalos para o tratamento da covid-19 têm, em alguns casos, até 100 vezes mais potência em termos de anticorpos neutralizantes do vírus gerador da doença. A informação foi dada à Agência Brasil pelo coordenador do projeto, Jerson Lima Silva, do Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Ele apresenta os resultados dos estudos do dia  (13) à noite, durante simpósio sobre covid-19 na Academia Nacional de Medicina (ANM). Na ocasião, Lima Silva anunciará também o depósito de patente para garantia do processo tecnológico produzido no Brasil e a submissão de publicação no MedRxiv, que é um repositório de resultados preprint, ou seja, pré-publicados. Silva é também presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

Quando começou, o projeto visava a obter gamaglobulina purificada, material biológico mais elaborado do que soros antiofídicos e antitetânicos. Esse soro é chamado hiperimune ou gamaglobulina hiperimune porque os pesquisadores inocularam o antígeno, durante três semanas, nos plasmas de cinco cavalos do Instituto Vital Brazil (IVB), laboratório oficial do governo fluminense.

Os animais foram inoculados com a proteína S recombinante do novo coronavírus, produzida no Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ) e, após 70 dias, os plasmas dos equinos apresentaram anticorpos neutralizantes 20 a 100 vezes mais potentes contra o novo coronavírus do que os plasmas de pessoas que tiveram covid-19 e estão em convalescência, disse Jerson Lima Silva.

Patente

Os resultados positivos levaram ao pedido de patente, relativo ao processo de produção do soro anti-covid-19, a partir da glicoproteína da espícula (coroa) do vírus com todos os domínios, preparação do antígeno, hiperimunização dos equinos, produção do plasma hiperimune, produção do concentrado de anticorpos específicos e do produto finalizado, após a sua purificação por filtração esterilizante e clarificação, envase e formulação final. O trabalho científico envolve parceria da UFRJ, IVB, Coppe/UFRJ e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Estamos juntando a expertise de várias pessoas”.

Jerson Lima Silva afirmou que o resultado da inoculação nos cavalos foi uma grande surpresa para os pesquisadores. “Os animais nos deram uma resposta impressionante de produção de anticorpos. Inoculamos em cinco e agora estamos expandindo para mais cavalos”. Quatro dos cinco equinos responderam muito rapidamente. “O quinto (animal), assim como acontece nos humanos, teve uma resposta mais demorada, mas também respondeu produzindo anticorpos”. Os cavalos do Instituto Vital Brazil estão em uma fazenda do laboratório, no município de Cachoeiras de Macacu, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Os estudos comprovaram que o soro produzido por cavalos para tratamento da covid-19 é superior ao feito com plasma de doentes convalescentes. “A gente vê que o nosso anticorpo do cavalo, em alguns casos, é próximo de 100 vezes mais alto. Entre 50 e 100 vezes”. Isso significa que os anticorpos produzidos pelos animais neutralizam o vírus da covid-19 com até 100 vezes mais potência, “mesmo quando a gente vai para a preparação final dos soros”.

Complementaridade

O coordenador do projeto explicou que outra vantagem do estudo é que ele é complementar às possibilidades de vacinas contra o vírus, cuja maioria se baseia na proteína da coroa. A ideia é que o soro produzido a partir dos plasmas dos equinos inoculados seja usado como tratamento, por meio de uma imunoterapia, ou imunização passiva. A vacina seria complementar.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Após a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), o grupo de pesquisadores vai iniciar os testes clínicos, com foco nos pacientes com diagnóstico confirmado de covid-19 que estejam internados, mas não se encontram em unidades de terapia intensiva. Os testes vão comparar quem recebeu o tratamento com quem não recebeu. “A gente está bem otimista. Mas essa é uma etapa que tem de ser feita”, disse Silva.

Ele informou que pretende firmar parcerias com outros laboratórios semelhantes que produzem soro no Brasil, localizados em São Paulo e Minas Gerais, por exemplo, “porque será preciso muito material”.

O estudo indica que enquanto não há vacinas aprovadas e diante da dificuldade em atender à grande demanda em todo o mundo, o uso potencial da imunização passiva por terapia com soro deve ser considerado uma opção. A soroterapia é um tratamento bem-sucedido e usado, há décadas, contra doenças como raiva, tétano e picadas de abelhas, cobras e outros animais peçonhentos, como aranha e escorpiões. Os soros produzidos pelo IVB têm excelente resultado de uso clínico, sem histórico de hipersensibilidade ou quaisquer outras eventuais reações adversas. Os estudos clínicos ocorrerão em parceria com o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor).

A pesquisa tem apoio financeiro da Faperj, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

A Voz do Povo

A campanha de vacinação antirrábica já teve início em localidades do interior em Sorriso. Cerca de 15 mil doses foram disponibilizadas para imunizar cães...

A Voz do Povo

Secretário de Transportes, Leonir Capitâneo fala sobre o trabalho de reconstrução da Ponte sobre o Rio Verde que estava em péssimas condições. A ponte...

A Voz do Povo

Força tarefa envolvendo setor de segurança, Centro de Ressocialização, Poder Judiciário e Prefeitura de Sorriso realiza limpeza na vala de escoamento de água às...

A Voz do Povo

Presidente do Democratas, Nereu Bresolin comenta decisão de apoiar Ari Lafin tomada em convenção do partido. Durante a convenção também foi definida a nominata...

A Voz do Povo

Representantes da AUTTS – Associação de Trabalhadores no Trânsito de Sorriso , Circe Ione Pianesso da Silva e Gladmir Suzin estiveram ao vivo no...

A Voz do Povo

Rotary Clube de Sorriso promove há 19 anos projeto de limpeza do Rio Lira

Curta a nossa página

+ Mais notícias

Primeiro Impacto

O presidente Jair Messias Bolsonaro acaba de pousar no aeroporto João Figueiredo em Sinop. Bolsonaro vista Sinop e Sorriso nesta sexta-feira (18/09). Centenas de...

Polícia

Um funcionário um homem de 31 anos, em surto psicótico na noite desta quinta-feira (17), por volta das 19h10m, com uma pá carregadeira destruiu...

A Voz do Povo

Confira como foi a cobertura jornalística feita pela equipe de jornalismo da Sorriso FM nesta sexta-feira (18/09), com as reportagens de Ivan Oliveira e...

Primeiro Impacto

Presidente Jair Bolsonaro recebeu da Câmara Municipal a honraria do Título de Cidadão Sorrisense. Prefeito Ari Lafin entregou lista das demandas do município.

A Voz do Povo

O advogado, Evandro Vozniak fala sobre representação em desfavor de Adriana Tavares por ofensas à integrantes do PSDB. Confira a entrevista feita por Ivan...

Primeiro Impacto

Na manhã desse sábado(19/09), um grupo de voluntários do Rotary Club realizaram mais uma limpeza do Rio Lira. O projeto de limpeza do rio...

Educação

As escolas de tempo integral (Plenas) e as militares se destacaram com a melhores notas no índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019,...

Polícia

Nesta sexta-feira (18) a equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou o veículo M.Benz, cor azul, com placas de Brasilândia do Sul/PR, no km...

Propaganda