Sorriso: assassino confesso de mãe e filhas tem prisão decretada em audiência de custódia

A juíza Gisela Andrade, da 2ª Vara Criminal de Sorriso, decretou a prisão preventiva de Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, que confessou o assassinato brutal de Cleci Calvi Cardoso, de 46 anos, e suas filhas Miliane Calvi Cardoso, de 19 anos, além de duas menores, de 13 e 10 anos. As vítimas foram sepultadas nesta terça-feira (28).

Gilberto foi detido na segunda-feira e transferido para Sinop, onde passou por audiência de custódia com a juíza Gisela Andrade, que decretou sua prisão preventiva. A decisão, embora não tenha sido disponibilizada, foi confirmada pela assessoria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Os assassinatos chocantes ganharam destaque nacional, levando a deputada federal Gisela Simona (União Brasil) a fazer um pronunciamento na sessão da Câmara dos Deputados. A parlamentar expressou que “Mato Grosso está em luto” e defendeu penas mais rigorosas para assassinos de mulheres. Gisela Simona também destacou a gravidade do crime, em que as vítimas foram violentamente estranguladas, estupradas, e a menor foi asfixiada, descrevendo a barbárie que abalou a cidade, o estado e o país.

A deputada mencionou a recente aprovação de um pacote antifeminicídio no Senado, enfatizando a necessidade de penas mais severas para crimes de feminicídio. Ela afirmou: “Essa pena faz com que seja uma das mais graves do nosso código penal, para que não continuemos a assistir à impunidade que, infelizmente, está reinando em nosso país”.

A senadora Margareth Buzetti (PSD) também se pronunciou sobre o caso durante uma sessão no Senado. Ela questionou a soltura do criminoso, destacando que ele tinha mandados de prisão pendentes por outros crimes. A senadora apresentou o projeto aprovado pelo Senado, que propõe penas mais rígidas para o feminicídio, com uma pena mínima de 20 anos e máxima de 40 anos, sendo a maior pena do Brasil.

O perito criminal Gledson Emiliano, da Politec Sorriso, após mais de 9 horas de análises, concluiu que o crime foi uma atrocidade. Ele descreveu as vítimas como quase todas atacadas com arma branca, destacando as múltiplas lesões na cabeça e pescoço, além de esganadura em uma das crianças.

A rápida ação da Polícia Civil e PM de Sorriso resultou na prisão do assassino confesso de mãe e filhas. O caso levantou questionamentos sobre a eficácia do sistema judiciário e reacendeu o debate sobre a necessidade de medidas mais severas contra crimes de feminicídio no país.

Veja também

Prefeitura de Sorriso convida para o 4° Fórum Municipal de Cultura

Polícia Civil prende no sul do estado homem que assassinou colega de trabalho e ateou fogo à vítima

Comitê Integrado de Prevenção e Combate a Incêndios discute estratégias para 2024

Sorriso: homem que invadiu casas usando chave mixa é preso em flagrante trabalhando em obra

Incêndio no Aterro Sanitário de Sorriso mobiliza equipes para combate (veja vídeo)

Médico fala da campanha Maio Roxo, de conscientização sobre doenças inflamatórias do intestino