Sorriso: CPI da Saúde pede quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de empresas e pessoas investigadas

Por unanimidade a comissão Parlamentar de inquérito que investiga pagamentos em duplicidade de ações judiciais na área da saúde em Sorriso aprovou requerimento da vereadora Jane Delalibera.

Ela pediu a quebra de sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático das empresas Chocair & Chocair e Bem-Estar, bem como dos empresários Samantha Chocair e José Chocair, proprietários das referidas empresas e da servidora afastada Marilei Oldoni Dias.

De acordo com o Presidente da CPI, vereador Rodrigo Machado, a expectativa é de que a quebra de sigilo supra a necessidade de informações uma vez que a CPI não obteve êxito nas oitivas das investigadas. “Buscamos levantar elementos para concluir o relatório de forma positiva. Queremos chegar aos reais envolvidos e a valores desviados”, disse.

Os pedidos de quebra de sigilo foram feitos à Justiça e agora será aguardado o deferimento.

Imagens da Secretaria de Fazenda também estão sendo analisadas pelos componentes da comissão. “Estamos analisando para ver quais os próximos passos que serão adotados”, explicou o presidente. Ele disse ainda que já foram constatadas divergências em algumas informações.

Rodrigo Machado confirmou ainda que com o afastamento do vereador Diogo Kriguer da CPI por motivos de ordem pessoal, deverá ser convocado um dos suplentes para assumir como membro. Maurício Gomes e Wanderley Paulo são os suplentes que serão oficiados pelo presidente. (Colaborou Ivan Oliveira – TV Cidade Verde)

Maninho Veículos
LCI Telecom
Programa Estação Sicredi

galeria de imagens

Veja também

f40b301580bfc887142ce75c7b7f3880

Maria Aparecida Fago é empossada como desembargadora do TJ

enfermeira_morta

Filho que matou enfermeira de VG continuará preso, decide juiz

capasamanta

Justiça mantém prisão de pai e filha envolvidos em suposto esquema de desvio de recursos da saúde em Sorriso

promotoriadesorriso

Caso João Ventura: Gestão foi alertada após primeiro pagamento por cirurgia não realizada

JOAO

Sorriso: paciente cujo nome foi usado para desviar mais de um milhão e meio de reais ainda não foi operado (vídeo)

WhatsApp Image 2022-07-26 at 17_57_29

MPMT requer suspensão de 22 leis que flexibilizaram porte de arma