Sorriso: padrasto que cometeu violência psicológica e abuso sexual contra a enteada tem prisão preventiva decretada

Um operador de máquinas de Sorriso teve a prisão preventiva decretada pelo plantão da Comarca de Sorriso, nesta segunda-feira (22.05), que converteu o flagrante por violência psicológica cometida contra a enteada, que atualmente tem 17 anos. Além disso, ele cometeu abusos sexuais contra a vítima desde que ela tinha cinco anos.

O homem de 36 anos foi detido no sábado (20), pela Polícia Militar, no Distrito de Primaverinha, em Sorriso, e encaminhado à Delegacia da Polícia Civil que representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva.

Conforme a apuração, a PM foi acionada no distrito para atender uma situação de crime de estupro. A empregadora da adolescente contou aos policiais que a menor lhe confidenciou que era abusada sexualmente pelo padrasto desde os cinco anos de idade.

Em depoimento na Delegacia de Sorriso, a empregadora da vítima relatou que a menor era constantemente vigiada pelo suspeito no local de trabalho, que sempre pedia dinheiro à menor. Além disso, ele dizia que tinha intenção de se mudar de cidade com toda a família e que, inclusive, queria obrigar a enteada a ir junto.

Abusos e violência física

Ouvida em escuta especializada, a vítima relatou os abusos sexuais e violências físicas sofridos, que começaram quando ela tinha cinco anos, e ocorreram em diversas cidades onde a família morou, nos estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo, até ela completar 16 anos, quando começou a se defender das investidas. Entre os episódios que sofreu, ela contou que foi agredida fisicamente por ter se recusado a mostrar a calcinha para o abusador.

A adolescente relatou ainda que o padrasto é violento com a mãe dela, com quem ele consumia drogas e bebidas e cometia agressões na frente dos filhos.

A menina contou à mãe sobre os abusos sexuais sofridos, mas, ela não tomou nenhuma atitude e que em virtude da violência a que foi submetida ao longo dos anos, tentou contra a própria vida. A vítima relatou ainda que os irmãos também sofrem com os atos violentos do suspeito.

Diante das informações colhidas, a delegada Jéssica Assis, do Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, autuou o agressor em flagrante por violência psicológica e representou pela prisão preventiva pelos crimes de estupro e estupro de vulnerável, que foi decretada pelo juízo plantonista. O suspeito foi interrogado e ficou em silêncio.

“No relato de tudo que ouvimos, podemos entender que a adolescente só conseguiu amparo e credibilidade ao conquistar um pouco de autonomia financeira e se desabrigar do manto criminoso de abandono familiar”, destacou a delegada.

A Polícia Civil apurou que membros da família da vítima estão tentando coagi-la e culpá-la por denunciar os crimes para fazê-la desistir da ação penal. “Todos serão investigados e devidamente indiciados pelos crimes cometidos contra a menor”, acrescentou a delegada.

Veja também

Tayane Cáttely é a primeira entrevistada da série Semana da Mulher na Voz do Povo

Operação Hígia: Guarda Civil Municipal de Sorriso intensifica a fiscalização e recolhimento de veículos abandonados

Sorriso: gerente de empresa é preso por suposto desvio financeiro e lavagem de dinheiro

Corpo é encontrado em plantação de milho em Lucas do Rio Verde ; PJC investiga

Boa Esperança do Norte: homem é detido com garrucha após denúncia de que teria incendiado residência

Sorriso: PJC busca prisão preventiva de suspeito de autoria do homicídio no Nova Aliança