Sorriso: Prefeitura estuda não renovar contrato com empresa Bem Estar

A Prefeitura de Sorriso está considerando não renovar o contrato 326/2022, que expira nesta quinta-feira (30 de novembro), com a empresa Bem Estar. A referida empresa desempenha papel crucial na gestão de mão-de-obra para a execução de serviços essenciais, como auxiliar de serviços gerais II, oficial de serviços gerais, servente de limpeza, coletor de detritos (diurno e noturno), auxiliar de serviços técnicos, agente de manutenção automotiva, e auxiliar de manutenção e reparos.

A decisão de possivelmente não renovar o contrato, com uma duração potencial de até seis meses, foi tomada após diálogo com representantes dos trabalhadores vinculados à empresa. Na manhã desta quarta-feira (29), o secretário de Administração, Estevam Calvo, liderou uma reunião com representantes de vários setores, acompanhado pelo vice-prefeito, Gerson Bicego, pelo vereador Celso Kozak, e pelos secretários-adjuntos Bruno Delgado (Administração) e Jesué Soares dos Santos (Obras e Serviços Públicos). O procurador-geral da Prefeitura, Éslen Parron, e a gestora de contratos, Maricélia Costa, também participaram do encontro.

A dificuldade de acesso dos trabalhadores à empresa terceirizada e o não cumprimento de prazos estipulados em negociações são fatores cruciais na tomada de decisão. Durante as negociações no período de pagamento dos salários dos 1.260 empregados, a Prefeitura havia acordado o pagamento da primeira parcela do 13.º salário até o dia 20. No entanto, apenas cerca de 40% dos servidores receberam conforme o combinado.

Caso a não renovação seja efetivada, a Prefeitura terá que buscar, por meio de dispensa de licitação, uma nova empresa para gerir esses cargos, assegurando a continuidade dos serviços essenciais à população. O secretário destacou ainda que, em conjunto com a Justiça, buscará formas de garantir o pagamento do 13.º salário e dos salários de novembro aos empregados que ainda não receberam. “Vamos depositar em juízo o pagamento à terceirizada, solicitando à Justiça que efetue esse pagamento a cada servidor ou que nos autorize a pagar diretamente”, antecipou Estevam.

Veja também

Vício em jogos foi tema de entrevista com Psiquiatra no programa A Voz do Povo

Juíza Emanuele Navarro Mano fala sobre adoção no Programa A Voz do Povo

Sorriso sediará grande evento em comemoração aos nove anos da Lei da Inclusão

Avião de pequeno porte cai em Mirassol D’oeste, resultando em duas mortes

Águas de Sorriso inicia capacitação gratuita de mulheres no ofício de encanadora profissional

Empresas de apostas online têm até janeiro para se regularizar