Sorriso vem buscando soluções para combater a violência muito antes de ser apontada em anuário

Muito antes ser apontada como a 6ª cidade mais violenta do Brasil, de acordo com os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (SBSP) nesta quinta-feira (20), Sorriso tem intensificado seus esforços para combater a criminalidade e proporcionar maior segurança aos seus habitantes. O município enfrenta um desafio significativo no enfrentamento da violência, que tem sido impulsionada por confrontos entre facções criminosas.

A 17ª edição do Anuário Brasileiro analisou 50 municípios com população acima de 100 mil habitantes, levando em consideração as taxas de mortes violentas intencionais divulgadas pelas secretarias de Segurança Pública de cada estado. Com 70,5% de mortes violentas intencionais, Sorriso figura entre as cidades mais preocupantes em termos de violência no país. Além disso, o Anuário revela que Mato Grosso ocupa a 13ª posição no ranking dos estados mais violentos.

As mortes violentas intencionais abrangem crimes como homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e feminicídio. O levantamento também aponta que as regiões Sul e Centro-oeste registraram crescimentos de 3,4% e 0,8%, respectivamente, na violência letal. Entre os principais motivos para esse aumento, está a guerra entre facções criminosas que têm expandido suas atuações para diversas regiões do país.

Em Sorriso, os confrontos entre o Comando Vermelho (CV) e dissidentes têm gerado tensões crescentes. A política de divisão dos “lucros do tráfico” e das chamadas “camisas” (taxas pagas aos membros da facção) causou revolta entre alguns integrantes, levando-os a fundar a Tropa Castelar e romper com o CV.

Em resposta, o Comando Vermelho iniciou uma verdadeira onda de extermínio contra o novo grupo, que acabou se associando ao Primeiro Comando da Capital (PCC) em busca de apoio e segurança. O PCC, por sua vez, tem demonstrado interesse em dominar a rota da fronteira de Mato Grosso com a Bolívia e a nova Rota Solimões, uma vez que o CV estaria utilizando o Rio Solimões, no Amazonas, para escoar drogas da Colômbia, Peru e Bolívia em grande quantidade, incluindo cocaína e “skunk” – uma supermaconha – que são posteriormente distribuídas por todo o país e até mesmo para o exterior.

Diante dessa realidade alarmante, a Prefeitura de Sorriso tem se dedicado a enfrentar a violência e garantir a segurança da comunidade. Investimentos significativos em Segurança Pública têm sido realizados, com um aumento de 251% no orçamento do Fundo Municipal de Segurança Pública, o que tem contribuído para a queda expressiva nos índices de criminalidade.

Implantação da jornada voluntária para a Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, investimento de mais de R$ 5 milhões para a construção da nova Delegacia da Polícia Civil, cessão de servidores para atuarem na nova delegacia, fornecimento de suprimentos essenciais para as forças policiais e instalação de câmeras de monitoramento no programa de cercamento digital são algumas das ações desenvolvidas pela administração municipal.

Além disso, iniciativas sociais nas áreas do Esporte e Cultura têm sido promovidas para engajar a comunidade, especialmente os jovens, na construção de um ambiente mais seguro e promissor. A Prefeitura reitera seu compromisso com a população e confia no trabalho conjunto com os órgãos de segurança para reforçar a sensação de segurança e buscar soluções efetivas para enfrentar a violência em Sorriso.

Veja também

Seguro Vida Mulher Sicoob garante proteção e tranquilidade para o futuro

Policiais Militares vítimas de naufrágio são sepultados com honras em Mato Grosso

Diamond Park: inovando o Conceito de Moradia em Sorriso

Fumaça na sala de embarque do aeroporto Marechal Rondon assusta passageiros

Ex-padrasto é preso pela Polícia Civil após abusar sexualmente de adolescente e induzi-la a aborto

Sorriso: Empresário morre após cair em lago artificial na região do Rio Teles Pires