Vereador de Cotriguaçu é denunciado por crimes ambientais

A Promotoria de Justiça de Cotriguaçu (a 950km de Cuiabá) denunciou o vereador Joaquim Bernardo de Jesus e Eles dos Santos Tostas por crimes ambientais praticados em um sítio, na zona rural do município. Conforme o Ministério Público de Mato Grosso, os dois denunciados “tiveram em depósito e armazenaram 189 m³ de madeiras sem licença válida” para isso, bem como “causaram dano direto à Unidade de Conservação Parque Estadual Igarapés do Juruena”.

O Ministério Público requereu o pagamento de valor mínimo de R$ 113.400,00 para reparação dos danos causados ao meio ambiente. De acordo com a denúncia, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) realizou fiscalização na Unidade de Conservação e constatou no imóvel rural Sítio Nossa Senhora da Penha madeira em toras e lotes de madeira serrada. “As madeiras estavam tampadas com palhas de coqueiros com a finalidade de burlar a fiscalização ambiental”, narrou o MPMT.

Conforme apurado, a madeira apreendida pertence ao denunciado Joaquim de Jesus, atualmente vereador no município de Cotriguaçu, e o denunciado Eles dos Santos Tosta era o responsável por esconder o produto florestal em seu sítio. “O sítio onde a madeira foi apreendida localiza-se na divisa com o Parque Estadual Igarapé do Juruena. Deste modo, resta evidente que os denunciados causaram dano direto na referida Unidade de Conservação com extração ilegal de madeira deste local”, argumentou o promotor de Justiça Cristiano de Miguel Felipini.

Veja também

Nelson Barbudo deve assumir cadeira de Amália Barros na Câmara dos Deputados

Vice-governador Otaviano Pivetta assume governo durante viagem de Mauro Mendes aos EUA

Senado aprova novo seguro obrigatório para veículos com votação apertada

Quase 850 mil pessoas foram afetadas por chuvas no Rio Grande do Sul

Onda de calor se estende até sábado (04) e deve atingir 45 municípios de Mato Grosso

Clube Amigos da Terra avança no projeto de revitalização de nascentes do Rio Lira em Sorriso