Trânsito

Cresce adesão ao pagamento eletrônico na BR-163/MT

Por: Rota do Oeste Publicado em 17/07/2020

Com a chegada da pandemia de coronavírus, aumentou o percentual de motoristas que utilizam meio eletrônico para pagamento da tarifa de pedágio no trecho sob concessão da BR-163, em Mato Grosso. Entre janeiro e junho deste ano, a Rota do Oeste identificou um crescimento gradual na adesão do sistema de Identificação Automática de Veículos (AVI) que passou de 50% para 56% entre os meses.

Na avaliação do gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, o aumento na adesão é reflexo da pandemia e o consequente interesse em garantir o distanciamento social e ainda uma resposta positiva à campanha de distribuição de Tags realizada pela Concessionária em abril deste ano. “Os nossos registros demonstram um crescimento na quantidade de veículos de passeio utilizando as pistas AVIs no norte, onde foi feita a distribuição dos equipamentos”.

Ferreira frisa ainda que é importante os motoristas conhecerem os benefícios desta modalidade de pagamento, que é muito utilizada em todo o Brasil e começa ser adotada com maior intensidade em Mato Grosso.  “A viagem é mais rápida e mais prática, pois não precisa parar na cabine de pedágio; diminui o desgaste do veículo; elimina a preocupação de andar com dinheiro; e com a pandemia garante o distanciamento social”.

Para aderir à modalidade de pagamento eletrônico, os interessados devem escolher uma das empresas que oferecem o serviço e solicitar a tag. Os endereços dos sites podem ser conferidos no site da Rota do Oeste (http://www.rotadooeste.com.br/pt-br/rodovia/pedagio).

Todas as praças de pedágios da BR-163 estão equipadas para o recebimento eletrônico da tarifa, os AVIs. O sistema permite o pagamento automático de pedágios por meio de um pequeno aparelho de comunicação via rádio instalado no veículo, chamado de tag. Neste sistema, o usuário não precisa parar nas praças e pode escolher entre o pagamento pré ou pós-pago.

Vantagens de usar tag:

– É mais prático e rápido;

– Não precisa andar com dinheiro;

– Como não precisa parar para pagar, diminui o tempo de viagem;

– Reduz o desgaste do veículo;

– E em tempo de pandemia, diminui o contato com o dinheiro e pessoas.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, o município de Sorriso deveria montar leitos de UTI?