Fugindo da crise e da fome família venezuelana não tem onde ficar e procura trabalho em Sorriso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook

Uma família de venezuelanos procurou a Sorriso FM para pedir ajuda, pois não tem onde ficar e tem duas crianças pequenas. Eles pedem uma oportunidade de trabalho.

Miguel Angel Osório Diaz, de 45 anos, sua esposa Milagres Gusman, de 31 anos e os dois filhos, Adonai de 5 anos e Jesus de dois anos estão em Sorriso a cerca de 15 dias não tem passar a noite e procuram qualquer tipo de serviço.

Eles vieram fugindo da crise na Venezuela, da fome e de outras mazelas. É crescente o número de imigrantes venezuelanos que atravessaram a fronteira com o Brasil em busca de refúgio e residência temporária. Muitos chegaram a pé por trilhas clandestinas e entraram no Brasil passando por Roraima. O fluxo migratório começou em 2015, bateu recordes em 2017 e aumentou em 2018 e 2019.

“Viver lá na Venezuela é como se fosse um pesadelo. Nós não temos esperança para o futuro, para nós e para os nossos filhos. Lá temos que lutar todos os dias pra conseguir comida, para tentar sobreviver. A gente só pensa em não morrer. Penso nos meus filhos, podem tirar a minha vida, mas a deles não”, disse Miguel.

Miguel busca conseguir um trabalho e assim conseguir alimentar a família, ele tem experiência como ajudante de carga e descarga de caminhão, vendas, entregas, também tem experiência na área da construção civil, pintura e gesso, soldador, elétrica e serviços gerais. A esposa tem experiência como cozinheira e confeiteira. Falam espanhol e português.

O telefone para contato é de SP (16) 99756-5193.

ATUALIZADA:

A equipe do CREAS realizou atendimento à família e conforme o relato:

“Por volta das 17h15, a equipe do CREAS atendeu o pedido da Secretaria de Assistência Social, foi até o local, acolheu e levou a família para passar a noite dignamente em um albergue.

Logo em seguida a equipe descobriu que a família está morando a cerca de 10 dias em uma casa cedida, que possuem móveis, que o Sr. Miguel estava fazendo diárias todos estes dias, que ontem abandonou o trabalho por conta própria e que as crianças já estão até matriculadas na rede de educação municipal.

Infelizmente muitas pessoas se aproveitam do fato de Sorriso ser uma cidade conhecida por sua riqueza e generosidade e usam de inverdades para enganar e comover a população. A campanha continua: NÃO DÊ ESMOLAS, DÊ DIGNIDADE!

Se encontrarem alguém em situação de rua encaminhem para o CREAS na Rua Otávio Souza Cruz, 275 Centro; ou liguem no 3545 1577″.