Governo Federal vai renovar emergência zoossanitária para gripe aviária

Ministério da Agricultura irá renovar o decreto de estado de emergência zoossanitária, em todo o território nacional, em virtude da continuidade de detecção de gripe aviária (influenza aviária H5N1 de alta patogenicidade (IAAP) no Brasil.

O status de emergência sanitária foi declarado em portaria no Diário Oficial da União em 22 de maio de 2023 e posteriormente prorrogado por mais 180 dias em 6 de novembro. Ele tem vigência até 3 de maio.

“O Brasil é um dos quatro países do mundo que não tem gripe aviária no plantel comercial. O sistema de defesa agropecuária brasileiro é muito eficiente. Vamos manter o status de emergência para evitar uma possível crise que possa vir a acontecer”, disse Fávaro a jornalistas nesta quarta-feira.

“Não é descartada (ocorrência de caso em granja comercial), mas o sistema tripartite é eficiente”

Até o momento, o Brasil possui 160 casos de gripe aviária, sendo 157 em animais silvestres e três em aves de fundo de quintal, segundo dados da plataforma oficial de monitoramento da doença. É considerado período crítico para propagação da doença até o fim de maio em virtude das rotas migratórias das aves.

De acordo com o ministro, nessa segunda fase de enfrentamento à gripe aviária, a pasta buscará recursos adicionais para as ações caso sejam necessários, além da reedição do status de emergência sanitária.

“Na primeira fase, fizemos campanha, mobilização e adquirimos equipamentos. Caso for necessário, pleitearemos recursos junto ao Ministério da Fazenda”, afirmou Fávaro.

Em outubro de 2023, o governo sancionou um crédito extraordinário de R$ 200 milhões ao Ministério da Agricultura para o combate à gripe aviária.

Veja também

SEMA alerta que CAR será suspenso caso não haja resposta dos produtores

Começa nesta quinta-feira consulta ao lote de restituição do IRPF

Prefeitura de Sorriso anuncia fechamento em respeito ao feriado de Corpus Christi

Politec capacita servidores municipais para emissão da Carteira de Identidade Nacional

RS: enchentes comprometem fertilidade do solo e deixarão algumas lavouras irrecuperáveis

TRE-MT rejeita ação de Nova Ubiratã e mantém criação do município de Boa Esperança do Norte