(66) 3544-2595

Telefone

(66) 99634-6964

WHATSAPP

MT tem quadrimestre com queda nos casos de crime contra a vida e contra patrimônio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Mato Grosso apresentou reduções nos crimes contra a vida e contra o patrimônio no primeiro quadrimestre de 2021. Conforme os dados da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, os casos de homicídios reduziram em 7%, totalizando 250 casos de janeiro a abril de 2021 ante a 269 casos em 2020. Os roubos seguidos de morte reduziram em 14%, já os roubos caíram 32% e os furtos em 15%.

Se for feita a comparação dos primeiros três meses do ano, o Estado teve o melhor primeiro trimestre dos últimos cinco anos com o menor casos de assassinatos, roubos e furtos, além de roubo e furtos de veículos desde 2017. Os dados foram apresentados na reunião do GGI Pleno, que reúne todos os chefes das forças de segurança estaduais na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

De janeiro a março de 2017 foram registrados roubo de 627 veículos e neste ano, no mesmo período, foram registrados 268 roubos de veículos. Em relação a furtos (sem uso de violência) foram 702 registros e neste trimestre foram 581 casos.

As apreensões de drogas em Mato Grosso aumentaram 4,9 toneladas ante a 3,7 toneladas. Os dados não contemplam as apreensões realizadas com apoio do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) em outros estados.

Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, os resultados positivos com a queda nos dados criminais é resultado de uma junção de fatores, como a integração entre as forças de segurança.

“Atribuo esses resultados ao bom trabalho da polícia, uso de tecnologias, planejamento e investimentos do Governo em programas como Mais MT, que deve investir ao todo cerca de R$ 800 milhões na Segurança Pública até 2022. O sistema de câmeras no estado, os investimentos em radiocomunicação digital que dá mais segurança para os policiais trabalharem, a aquisição de armas com qualidade e a inteligência trabalhando de forma mais aguçada”.