Novo salário mínimo nacional de R$ 1.412 entra em vigor, representando aumento de 7%

A partir desta segunda-feira (1º), o novo salário mínimo nacional de R$ 1.412 entra em vigor, proporcionando um acréscimo de quase 7%, ou R$ 92 a mais em comparação aos R$ 1.320 que estavam em vigor até dezembro de 2023. O cálculo do reajuste foi antecipado pelo G1 e inserido como previsão no Orçamento de 2024, sendo oficializado por meio de um decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), publicado na última quarta-feira (27).

A atualização do salário mínimo impacta diretamente não apenas os trabalhadores que recebem este valor, mas também benefícios vinculados a ele, como o seguro-desemprego e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Aqueles que se enquadram nessa categoria já receberão o total reajustado no início de fevereiro.

Como funciona o salário mínimo?

O salário mínimo, conforme estabelecido pela Constituição, é a menor remuneração que um trabalhador formal pode receber no país. Ele deve ser capaz de atender às necessidades vitais básicas, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, e deve ser periodicamente reajustado para preservar o poder aquisitivo.

Nos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro, o reajuste do salário mínimo seguiu a regra de ser corrigido apenas pela inflação, sem ganho real. Atualmente, o salário mínimo serve de referência para 54 milhões de pessoas no Brasil, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O que muda com o novo salário mínimo?

Com o novo valor de R$ 1.412, benefícios e serviços que utilizam o piso nacional como referência também são ajustados. Dentre eles, destacam-se o abono salarial PIS/Pasep, benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Benefício de Prestação Continuada (BPC), seguro-desemprego, valores que permitem a inscrição no Cadastro Único, seguro-defeso, montantes pagos no trabalho intermitente, teto permitido para ajuizar ações e contribuições mensais dos Microempreendedores Individuais (MEIs).

Política de valorização do salário mínimo

O governo Lula prometeu durante a campanha retomar a chamada “política de valorização do salário mínimo”, o que implica aumentos para além da inflação. Aprovada pelo Congresso em agosto, a medida provisória, editada por Lula em abril, incorporou esse mecanismo na lei, considerando a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) até novembro e o índice de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois anos anteriores no cálculo do reajuste do salário mínimo.

Veja também

IBGE destaca números do Censo 2022 enfocando alfabetização

Campanha de vacinação contra a Poliomielite começa hoje em Sorriso

Polícia Militar recupera veículo em menos de 20h após assalto

Criança de 5 anos se afoga em piscina e SAMU a encaminha ao Hospital Regional

Armazém de grãos é consumido pelo fogo durante madrugada em Sorriso

Suspeito de participar de tripla tentativa de homicídio é preso pela Rotam