Campo Novo do Parecis

Polícia Civil apreende carga de drogas na BR-364 e prende dois suspeitos em flagrante

Uma operação realizada pela Polícia Civil na BR-364 resultou na apreensão de uma grande quantidade de entorpecentes na quarta-feira (12.06). A ação foi conduzida pela equipe da Delegacia de Campo Novo do Parecis e levou à prisão de dois homens, de 27 e 29 anos, autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Durante diligências de rotina na região, os policiais avistaram um veículo Fiat Fiorino, cujo condutor demonstrava nervosismo e inquietação ao observar constantemente os policiais. Suspeitando de uma possível atividade criminosa, a equipe policial decidiu acompanhar o veículo, que tentou aumentar a velocidade para escapar da abordagem.

Ao ser interceptado, o motorista do Fiat Fiorino confessou estar transportando entorpecentes. Na parte traseira do veículo, foram encontradas duas caixas contendo tabletes de maconha, pasta base e cocaína. No total, foram apreendidos 26 tabletes de maconha, seis de pasta base e dois de cocaína, somando 34 peças de entorpecentes.

O suspeito foi conduzido à Delegacia de Campo Novo do Parecis, onde revelou que havia outro veículo envolvido na operação de transporte dos entorpecentes. Em resposta, os policiais retornaram à BR-364 e abordaram um Fiat Mobi que seguia em direção a Brasnorte.

O motorista do segundo veículo também foi detido e levado à Delegacia de Campo Novo do Parecis. Ambos os suspeitos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico e estão à disposição da Justiça.

 

Veja também

Sorriso: PM prende duas pessoas por tráfico de drogas no bairro Benjamim Raiser

Sorriso: Polícia Militar recupera motocicleta roubada e detém suspeitos

Polícia Civil deflagra operação para reprimir tentativa de acesso ao sistema da instituição

Delegado confirma prisão de jovem de 18 anos suspeito de vários roubos em Sorriso

Sorriso: mulher cai em golpe e perde R$ 12,6 mil em transferências PIX; criminoso se passou por funcionário do banco

Instrutor de artes marciais é suspeito de pedofilia em academia