Prazo de plantio da soja é ampliado em Mato Grosso


O prazo permitido para o plantio de soja em Mato Grosso foi prorrogado para o dia 13 de janeiro de 2024. A decisão do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) atendeu pedido do setor produtivo, com parecer favorável do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT). O período se encerraria no dia 24 desse mês.

O Indea elaborou manifestação técnica, após receber diversas demandas, por meio dos sindicatos rurais e associações, levando em consideração dados das condições climáticas ocasionadas pelo fenômeno “super El Nino” e os impactos ocasionados à produção da leguminosa nesta safra.

“Nos meses de agosto a outubro choveu bem menos do que nos anos anteriores, registramos uma estiagem prolongada, altas temperaturas, ondas de calor e umidade relativa do ar. Todos esses fatores do clima atrapalharam significativamente o plantio, obrigando algumas propriedades a atrasarem o plantio e outras a replantarem e, por esse motivo, manifestamos junto ao Mapa a necessidade de se prolongar o período de semeadura”, afirmou.

Após a publicação da Portaria nº 958 do Mapa, Mato Grosso alterou o calendário de plantio da soja para que o mesmo esteja em conformidade com a normativa federal, através da publicação da Instrução Normativa Conjunta SEDEC/INDEA-MT nº 003/2023.

Devido às condições climáticas, a previsão é que Mato Grosso reduza a área plantada e na produtividade de soja na safra 2023/2024, conforme o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Veja também

Delegada Jessica Assis fala sobre a Campanha Maio Laranja de combate ao abuso e à exploração sexual infantil

Manifestação na Agência da Caixa Econômica Federal de Sorriso chama atenção para falta de pessoal

Inscrições abertas para cursos profissionalizantes gratuitos em Sorriso

Entrevista na Sorriso FM destaca a Campanha Maio Furta Cor pela Saúde Mental Materna

Secretário de Obras de Sorriso esclarece situação na Avenida Natalino João Brescansin

Governador defende eficiência e que Brasil lidere setor da economia verde