Trânsito

ÁLCOOL X DIREÇÃO

PRF realizou quase 100 mil testes de alcoolemia em MT

Por: Assessoria PRF Publicado em 28/01/2020
Quantidade de pessoas autuadas e presas por dirigir sob efeito de bebida alcoólica aumentou em 2019

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Mato Grosso realizou quase 100 mil testes de alcoolemia em 2019, um aumento de 34% nesse tipo de fiscalização, se comparado a 2018.

O que também subiu foi a quantidade de pessoas autuadas e presas por dirigir sob efeito de bebida alcoólica. Em 2018, foram emitidos 1.430 autos de infração e em 2019 foram 1.749, número 22% maior. As prisões tiveram um acréscimo de 18%, saltando de 489 para 579 no ano passado.

Para a PRF, o aumento se deve a vários fatos que possibilitaram uma fiscalização mais efetiva. “Um deles foi o direcionamento das operações para pontos específicos em que a análise de dados apontou a ocorrência de acidentes envolvendo condutores embriagados”, explica a chefe do Setor de Segurança Viária, Chayene Demarco Rosa.

Outro fato foi a implementação de tecnologias nas fiscalizações de trânsito, como os etilômetros passivos, adquiridos pela PRF em Mato Grosso no ano passado. Com o equipamento, a verificação do uso de álcool passou de alguns minutos para segundos, enquanto o policial conversa com o motorista abordado.

 “Isso possibilita agilidade nas fiscalizações e um melhor direcionamento a fim de atingir o objetivo que é retirar o motorista alcoolizado das vias e evitar acidentes”, frisa a PRF Chayene.

A ampliação da fiscalização do uso de álcool e outras drogas por condutores é uma das ações do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS), do qual a PRF e outros órgãos fazem parte.

Por isso, as Operações Integradas Lei Seca têm sido desenvolvidas em parceria com órgãos estaduais e municipais de trânsito e segurança. Na última edição, no sábado (25), em Várzea Grande, em duas horas de abordagens foram presas dez pessoas e autuadas 19 por alcoolemia.

PENALIDADE

O artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro prevê multa gravíssima multiplicada 10 vezes (R$ 2,9 mil) e suspensão do direito de dirigir para o condutor de veículo flagrado sob efeito de álcool. Dependendo do valor que o etilômetro apontar, cabe ainda prisão. A mesma multa é aplicada para quem se recusa a fazer o teste.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, quais secretários do governo Ari Lafin devem continuar na próxima gestão?
(É possível votar em mais de um)