Polícia

Sorriso: execução registrada no Mário Raiter pode ter sido ação de facção criminosa, diz delegado

Publicado em 11/02/2020

O delegado da Polícia Judiciária Civil de Sorriso Nilson Farias relatou a reportagem que o homicídio que aconteceu no bairro Mário Raiter na noite do último domingo (10-02) que teve como vítima o jovem Lucas Henrique da Silva Alves de 22 anos, possivelmente trata-se de ação de uma facção criminosa.

Segundo o delegado, o modo em que a vítima foi executada levou os policiais a esta suspeita. “Tendo em vista o mudus operandi em que invadiram a residência e desferiram aproximadamente 12 disparos de arma de fogo contra esse jovem(…). Pela quantidade de disparos provavelmente a arma foi pistola”.

O doutor ainda relatou que a vítima possui passagens pela polícia pelo crime de tráfico de drogas. “A ação do mundo tráfico de drogas hoje infelizmente a gente sabe que culmina em muitas das vezes em execuções, então acreditamos que esse especificamente, é um dos casos. Estamos trabalhando na identificação do autor ou autores do crime”.

O caso continua sendo investigado.

O crime

Lucas Henrique da Silva Alves, 22 anos, foi morto na noite desse domingo (09-02), por volta de 23 horas, em uma residência localizada na Avenida Elias Maciel no residencial Mário Raiter em Sorriso.

Segundo informações apuradas pela reportagem, uma testemunha relatou que um homem aproveitou que o portão estava encostado e entrou na casa, em seguida atirou por diversas vezes no jovem.

A casa é da namorada da vítima.

A Polícia Civil esteve no local para o início dos procedimentos de investigação.

Enquete. Participe!

Em sua opinião, quais secretários do governo Ari Lafin devem continuar na próxima gestão?
(É possível votar em mais de um)